Muitos dos benefícios da prática do Yoga não podem ser explicados pelas ciências ocidentais modernas especialmente os aspectos místicos. No entanto, uma vantagem de abordar Yoga cientificamente é que muitas vezes podemos identificar elementos da prática que produzem um benefício e, em seguida, usar o nosso conhecimento da ciência para ampliar o efeito.

Na publicação de hoje vamos dar uma olhada na neurociência por trás da forma como o cérebro”vê” o corpo. Nosso vídeo ilustra a “homúnculo motor.” Este é um mapa visual da representação proporcional do corpo no cérebro. Ele é derivado do trabalho do Dr. Wilder Penfield, um renomado neurocirurgião canadense. Ele desenvolveu este mapa por estimular regiões do cérebro em doentes epilépticos durante a cirurgia e, em seguida, documentou que partes do corpo foram afetadas. O trabalho do Dr. Penfield foi uma contribuição pioneira para a ciência médica. Era original, elegante em sua simplicidade, e tem resistido ao teste do tempo.

Regiões do corpo que exigem maiores habilidades táteis e consciência sensorial, tais como as mãos e língua, tem uma representação proporcionalmente maior sobre o homúnculo. Áreas que são responsáveis ​​pelas atividades menos complexas são menores no mapa. Olhe para o músculopsoas, por exemplo. A sua representação é muito menor do que a da ponta do dedo mínimo!

O que tudo isso tem a ver com Yoga? Bem, tem sido mostrado que o cérebro apresenta uma qualidade conhecida como “plasticidade”. Isto se refere à capacidade do corpo para alterar a estrutura física e os circuitos dentro do cérebro através de tipos específicos de treino.Praticar Yoga pode ser um método para acessar essa maleabilidade dentro do cérebro. Por exemplo, a série do Despertar dos Psoas pode ser usada para expandir o circuito associado com este músculo.
Desde de o momento que começamos a sentar (cerca de oito meses de idade), usamos os psoas. Na verdade, podemos usá-lo regularmente de modo que o cérebro utiliza inconscientemente ,  que não temos que pensar em engaja-los. Pensar gasta energia, e o corpo está sempre procurando maneiras de economizar. Consequentemente, “esquecemos” como ativar este importante músculo postural. Por exemplo, é fácil contrair os bíceps (apenas “fazer um músculo”). Tente fazer o mesmo com seus psoas.
trik_psoas
Por que os psoas são importante? Vamos olhar para a origem e inserção deste músculo emTrikonasana. O psoas compreende dois músculos – psoas maior e ilíaco. O principal psoas origina-se da T12 até a L4 nos corpos vertebrais e ilíaco origina a partir do interior da pelve na fossa ilíaca. Ambos os músculos se combinam para formar um tendão que insere-se na trocânter (parte superior do fémur) menor, uma estrutura de botão semelhante no lado de dentro da parte superior do fémur (osso da coxa). O psoas assim cruzam articulações múltiplas – Eles são poli angular. Isso significa que, quando se contrai, ele pode afetar a coluna lombar, pelve ou quadril. Sua ação é flexionar o quadril ou tronco. O psoas é particularmente importante para incorporar no Yoga  uma vez que confere estabilidade do núcleo da pelve, lombar e quadril nos asanas.

Então, passamos por várias fases da vida: pré-escolar, adolescência, nos apaixonamos, desiludimos do amor –  Se é que você me entende. Todo o tempo os psoas estão lá, ajudando-nos a sentar, levantar e caminhar. Então começamos a fazer Yoga. Isso leva o corpo em novas e desacostumadas posições. E embora muitos dos asanas se beneficiam de intencionalmente ativar os psoas, é raro que as pessoas possam fazê-lo sem primeiro trazê-los de volta sob controle consciente. Você pode fazer isso por isolar este músculo em poses do Yoga  Uma vez que o cérebro percebe que você está engajado psoas regularmente durante sua prática, ele voltará para o inconsciente, mas com uma nova função: melhorar o seu Yoga.

Certifique-se de clicar para a Série Despertar dos Psoas e experimente. Pense em como as alterações de homúnculo durante esta importante prática.

Dê uma olhada nos livros da Bandha Yoga em português na página da Traço Editora para aprender mais como combinar a ciência ocidental com a arte do Yoga…

Namastê
Bandha Yoga & Traços Editora

Um comentário

Deixe uma resposta

Seu email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes:
<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>