“Quando criada em veracidade, pode-se ter certeza dos resultados da ação” – Sutra II.36.

Digo isto porque durante uma série recente workshop a questão foi colocada – “Qual é a diferença entre cautela e medo?” Os participantes responderam sem hesitação que a cautela decorre de conhecimento, sabedoria e verdade. Por outro lado, o medo e as ações baseadas no medo vêm de uma falta de conhecimento, sabedoria ou verdade. Em outras palavras, o medo é uma ilusão. Cautela permite; medo paralisa. Satya sucede porque as forças geradoras do universo, de alguma forma ou de outra se alinham por trás dela. Asatya (falsidade) falhar porque essas mesmas forças alinham-se contra ela.

Algumas pessoas incentivam e manipulamo medo dos outros. Corporações sociopatas e indivíduos muitas vezes recorrem a esta forma de asatya quando eles percebem que eles não têm a capacidade de competir de forma justa ou estão com medo de que alguém vai ganhar o poder; Eles têm medo de perder o controle ou influência sobre os outros, principalmente para ganho monetário. Consequentemente, os traficantes do medo agem também por medo. Por exemplo, eles podem exagerar ou fabricar dados científicos para lançar uma falsa luz sobre algo ou alguém que eles temem. Ironicamente, no processo, eles muitas vezes conseguem expor os seus próprios medos. Uma entidade exposta por abusar de sua posição de confiança por enganar deliberadamente os outros vão perder essa posição.

Por outro lado, Hatha Yoga é estabelecida na verdade (satya). É claro que existem riscos – todas as atividades físicas têm risco de causar dano. Hatha Yoga tem sobrevivido através dos milênios, pois seus benefícios superam os riscos, especialmente quando praticamos de forma inteligente, usando o bom senso e conhecimento exato do corpo. Por exemplo, em um artigo que apareceu nos EUA, a lenda do basquete Kareem Abdul Jabbar descreve sua experiência no Yoga:

“Eu acredito que o Yoga é uma das razões que eu fui capaz de jogar por tanto tempo e saudável como eu fiz … Yoga é um pouco difícil de quantificar em termos de benefícios, porque você percebe em todas as lesões que você não sofremos… No meu caso, notei melhora na minha postura, que foi fundamental para mim, porque eu estava tendo problemas na parte inferior das costas … Depois que eu comecei a praticar asanas -tudo isso mudou, minha saúde melhorou muito “.

Os atletas de alto nível não perdem tempo com medo da possibilidade de contusões  durante as suas atividades que antecedem as lesões. Eles estão conscientes dos riscos e tomam medidas para minimizá-los através de doses certa de cautela, formação científica e um bom conhecimento do corpo. Se surgir uma lesão, eles trabalham com ela e muitas vezes saem mais fortes. Tal como acontece com Jabbar, muitos atletas hoje em dia também incluem Yoga em seu treinamento para ajudar a reduzir o risco de lesões e melhorar o desempenho.

A Experiência positiva de Jabbar com Yoga e seu problema nas costas também foram validados por os outros em literaturas científicas e estudos demostrando a segurança e eficácia do Yoga para a gestão de dores crônica na lombar . No próximo artigo iremos apresentar um resumo de um estudo relacionado a dores lombares.

A segurança e eficácia de qualquer intervenção confirma que foi estabelecido na verdade ou satya. Note-se que artigos revisados por especialistas não sitam o medo. Nem exageram sobre os benefícios. Em vez disso, eles elucidam os benefícios e identificam os riscos de uma intervenção através de uma abordagem científica imparcial. Esta metodologia direta e honesta nos permite, através de um estudo mais aprofundado, melhorar a eficácia e encontrar formas de reduzir os riscos. Com isso em mente, vamos dar uma olhada nos benefícios do Chaturanga Dandasana e uma dica que pode ser usada para aperfeiçoar essa postura.

blog32-2

A coluna vertebral que ilustra a tensão (dorsal) e a relação com a compressão (ventral).

blog32-3

A coluna vertebral com o peso sendo sustentado pela coluna.

À medida que evoluímos de quadrúpedes (que andam sobre quatro patas) para bípedes, a coluna fez a transição de um estrutura tipo de ponte suspensa , utilizando relações tensão / compressão, para uma coluna de sustentação de peso. Esta mudança expõe as várias estruturas da coluna vertebral para diferentes tensões potenciais. Por exemplo, a “oscilação” uma posição que resulta em núcleo abdominal fraco. Por este motivo, os programas de reabilitação da coluna , sempre incorporam exercícios de fortalecimento abdominal. Em outras palavras, a parte da frente condicionada ajuda a proteger a parte de trás.

Chaturanqa e suas variações, representam um asana que pode ser utilizado para desenvolver e condicionar os músculos abdominais e a estabilizar a lombar. Praticado corretamente, a postura reproduz a posição quadrúpede e temporariamente alivia o estresse bípede na coluna. Ao mesmo tempo, reforça o núcleo abdominal.

Chaturanga cria um “bastão” com o corpo, daí o seu nome: “Postura do bastão, com apoio em quatro membros”. Há uma tendência, no entanto, desviar-se da posição correta por hiperextensão  a lombar e levantar o cóccix para o ar durante a postura. Isso decorre por (1)usarmos os flexores do quadril (incluindo os psoas) para manter a postura e em seguida, se (2) inclina a pelve para a frente e se estende a lombar. Essa tendência pode ser equilibrada e corrigida pela (3)co-ativação do glúteo máximo e (4)reto abdominal em Chaturanga. (=)Ativando estes músculos neutraliza hiperextensão lombar, condiciona os músculos abdominais e restabelece as relações tensão / compressão dentro da coluna vertebral para apoiar a postura.

Executar com firmeza envolvendo os músculos abdominais e em seguida incorporando a contração do músculo glúteo máximo para inclinar a pelve para trás e para baixo, evitando a hiperextensão da coluna lombar. Para aqueles de vocês que praticam vinyasa, ative para dentro o cóccix para envolver o glúteo máximo e contraia os músculos abdominais enquanto expira em Chaturanga. Note a estabilidade criada na lombar. Esta técnica também pode trabalhar acoplando os mesmos músculos nas posturas preparatórias, com o tronco permanecendo no chão. Construir e soltar a ativação muscular gradualmente – É a chave.

blog32-1

Envolver o músculo reto abdominal e glúteo máximo em Chaturanga Dandasana.

Aqui está a anatomia …

O músculo reto abdominal se estende desde o púbis até a cartilagem da quinta, sexta e sétima costelas e do esterno. Ele chama a sínfise púbica para cima, flexiona o tronco do corpo, e atua como um músculo acessório da expiração. O glúteo máximo origina na superfície posterior do sacro-ilíaco e da fáscia tóraco-lombar; que se insere na banda iliotibial e tuberosidade glútea do fêmur. Este músculo se estende e roda externamente o fêmur e inclina a pelve para trás e para baixo. Inclinando a pelve para trás e para baixo alivia a hiperextensão da lombar por meio de acoplamento comum. Isto é conhecido como “ritmo lombo-pélvica”, em que a inclinação da pélvis para a frente ou para trás se estende ou se dobra a lombar, respectivamente.

Se você sofre dores nas costas , consulte seu médico; sempre trabalhe sob a orientação de um médico para gerir a sua condição.

Dê uma olhada nos livros da Bandha Yoga em português na página da Traço Editora para aprender mais como combinar a ciência ocidental com a arte do Yoga…

Namasté

Traço Editora e Bandha Yoga

Comments