A palavra está em toda parte; você não pode ficar longe dela do tanto que ela é usada como um advérbio (alimentação consciente, andar consciente, trabalho consciente, paternidade consciente), em marcas de roupas, revistas e até mesmo marcas de chá.

Mais e mais pessoas estão indo em direção a esta antiga sabedoria da consciência e não porque é moda, mas porque é uma forma de lidar com uma sociedade excessivamente estimulante, competitiva e exigente.

Estamos vivendo em uma época de distrações. Ou seja,  não há sinais que as coisas estão mais calmas; ao contrário, elas estão ficando mais perturbadas.

Estamos desesperadamente à procura de maneiras para gerenciar o ataque diário. Chegamos a um estado de urgência, reconhecendo que a desaceleração não é apenas necessária para prosperar mas para sobreviver. O estresse é um dos principais fatores de risco para a maioria das doenças degenerativas. Felizmente, praticar a consciência pode ajudar. Ela é uma ferramenta prática indispensável para recuperar a nossa paz interior e aprender a de-estressar.

Compreender a Consciência

Consciência é o simples ato de trazer a lucidez para oque está acontecendo no momento e dar a total atenção a ele, sem julgamento. É tão simples, mas profundo – Mudança de vida profunda. Pode-se trabalhar consciente, ser um pai consciente e aprender consciente. Pode-se exercitar, comer, pensar e viver consciente. Consciência  transforma.

Quando direcionamos a nossa atenção para o nosso interior, incluindo corpo, mente, pensamentos, emoções e sensações físicas, nós nos tornamos nosso próprio testemunho.

Assistindo sem julgamento ou expectativas é a chave para a consciência. No momento em que julgar um pensamento, você se envolve nele. Nos tornamos parte da história e não podemos mais ser o observador objetivo.

Testemunhando nossos pensamentos objetivamente e criamos uma oportunidade de mudança. Nós não podemos mudar um pensamento se estamos inconscientes do pensamento. Da mesma forma, não podemos mudar um pensamento, se nos  identificamos com ele. Por exemplo, ‘estou triste’ é diferente de ‘Eu me sinto triste “. O primeiro cria uma identidade em torno da tristeza.

Embora a sensação possa ser passageira, uma identidade tende a ser mais permanente. Prestando atenção no nosso diálogo interior é o primeiro passo fundamental em uma prática de consciência plena. O próximo passo é fazer alguma coisa com esses diálogos.

Reforçar o que é  positivo

Nosso cérebro é três a cinco vezes mais sensível a informações negativa do que positiva. Isso foi útil há muito tempo, mas hoje não temos tantas ameaças físicas cotidianas mais ainda nossos cérebros estão ligados a prestar mais atenção no negativo do que no positivo. Quando intencionalmente prestamos atenção no lado positivo, as vias neurais associadas com memórias positivas são reforçadas. Quanto mais temos acesso as vias mais vamos usá-las, diminuindo o nosso foco no negativo. Trazendo consciência aos nossos padrões de pensamentos negativos nos permite mudar e redirecionar nosso pensamento.

A consciência é como um músculo. Como acontece com qualquer músculo, ele se fortalece com o exercício. Nosso cérebro tem a capacidade de adaptar-se e religar. Esta neuro-plasticidade fornece evidências para a ciência por trás das práticas da consciência.

Cultivando Consciência em Jovens

Hoje, mais do que nunca, os nossos jovens estão em extrema necessidade de se acalmarem. Eles nasceram no pico da distração, não sabendo o que é não ser possível acessar informações instantaneamente ou quando os telefones não eram uma extensão de nossas extremidades.

Cultivando a consciência em crianças, como seus cérebros ainda estão em desenvolvimento e oferecendo práticas fáceis de consciência apropriadas à idade pode ajudar a nossa próxima geração com o auto-controle. Crianças gostam de aprender sobre suas mentes e corpos e de encontrar o seu espaço interior. E ao contrário do que alguns acreditam, elas realmente aproveitam o tempo em silencio.

Comments