Você não pode praticar Yoga por muito tempo sem esbarrar sobre a filosofia do Yoga.

Afinal, a filosofia por trás do Yoga é o que separa de uma simples ginástica, e definitivamente o que faz do Yoga uma pratica verdadeira e transformadora. As primeiras vezes que você ouvir o seu professor usar a palavra ahimsa ou uma citação de Patanjali você pode se sentir desnorteada. Não sinta medo ou fique insegura. Você não precisa de um curso de sânscrito para se beneficiar da filosofia do Yoga.

 Uma das partes mais fundamentais e praticas dessa filosofia é o grupo de práticas chamadas Yamas. Descritas em detalhes nos Sutras de Patanjali, os Yamas são cinco princípios éticos que podem melhorar o seu relacionamento com si mesmo e com as pessoas a sua volta.

 Pense neles como um compasso – Uma forma de orientar-se de volta ao caminho certo de nossas vidas em momentos difíceis.

 Ahimsa( Não-Violência): Esse é a base do Yoga . Ahimsa é cultivar uma atitude de amor e compaixão com os outros ou todos incluindo nos mesmos. É perguntar a si mesmo antes de fazer algo – Isto é prejudicial ou útil? Estou fazendo isso por amor, ou …?

 Ahimsa nos ajuda a perceber as maneiras sutis que agredimos nos mesmos com conversas negativas ou quando forçamos uma postura durante a pratica correndo o risco de nos machucar. Também ajuda nos relacionamentos possibilitando que consideremos o impacto que temos em outras pessoas.

 As vezes quando estamos em situações difíceis, ajuda a nos lembrar que na verdade não estamos contra ninguém. E se for difícil ser bom com sigo mesmo, tente considerar como você se sente ou age com alguém que você ama, uma criança, um animal e aplique a mesma forma com você . Com a pratica, ahimsa pode se tornar a base do que pensamos, sentimos e agimos, com amor.

 Satya (Verdade): Ser honesto com os outros é essencial para um bom relacionamento. Ser honesto com nós mesmo é igualmente importante. Mas nos humanos somos muito hábeis em enganar, se não mesmo de mentir para nós mesmos sobre coisas que não queremos enfrentar. Muitas das vezes, debaixo da recusa, existe consciência sobre o que realmente está acontecendo. Mas a falta de aceitação que  não é o mesmo que renunciar sobre como as coisas realmente são. Ao contrário, aceitação é a condição necessária para a mudança. Nós temos que enxergar aonde estamos no mapa se queremos construir um caminho para onde queremos chegar.

É claro, basicamente , satya também é falar a verdade para os outros. É importante lembrar que antes da verdade vem a não-violência, então ficar quieto é melhor em muitos casos.

 Asteya (Não Roubar): Literalmente  significa não tomar posse do que não dado a você. Em um nível mais sutil, também significa não tomar posse do tempo, atenção, controle ou dignidade dos outros. Você respeita as pessoas o suficiente para chegar na hora certa ou você faz as pessoas esperarem  ? Você deixa as pessoas apreciarem o sucesso delas, ou você toma esse sucesso para si mesmo? Você precisa controlar as situações na conta dos outros? As formas que podemos tomar as posses dos outros são muitas ou infinitas.

 Brahmacharya (Controle do Desejo): Este é o mais difícil de contextualizar e se você olhar profundamente, vai encontra muitas interpretações mas o básico é evitar ceder a todos os desejos  e utilizar mal sua energia.

Alguns textos interpretam este Yama como restrição sexual, mas pode ser aplicado em situações variadas. Prestar atenção aonde colocamos nossas energia é um valioso exercício. Você desperdiça a sua energia de uma forma desregulada como fofocando, usando drogas, ou horas em frente do computador, etc?

 Aparigraha (Sem Ganância): Este ocorre em direta colisão de como nossa sociedade espera de nós. Aparigraha nos encoraja a ficarmos satisfeitos com o que  temos e não constantemente acumulando coisas novas que não precisamos. Não há nada errado em ter conforto na vida mas muitos de nós passamos muito tempo da vida pensando, querendo e correndo atrás da próxima novidade.

 Nós ouvimos que coisas materiais não trazem felicidade mas não desistimos de acreditar nisso. Claro, um novo carro, casa nova ou qualquer outra coisa que dará um prazer imediato. A maioria do das vezes as nossas coisas são apenas distrações do que realmente é a nossa vida real.

 Existem inúmeros materiais escritos sobre os Yama – Acima é somente uma pequena introdução.

 Porque é tão importante? Por que a bondade e comportamento ético são necessários se você procura pela verdadeira felicidade e uma mente em paz. Se você trata mal a si mesmo, você não vai ser feliz, se você trata os outros mal, seus relacionamentos irão sofrer mas também você estará  sujeito a sofrer e sentir-se culpado e ansioso sobre as consequências futuras.

 Os Yamas ajuda a nos levar para longe de uma atitude que somos o centro do mundo e para começarmos a agir com amor e conscientes sobre o impacto que temos sobre outras pessoas e no mundo. Quando sentimos bem com nos mesmos  e no que fazemos, podemos ter uma mente em paz.

3 comments

Deixe uma resposta

Seu email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes:
<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>