A Índia possui uma tradição longa e rica de música através dos tempos mais remotos e evidencia uma divisão marcante entre a melodia (raga) e o ritmo (tala).
No que tange à parte rítmica, registram-se os mais variados tipos de tambores (mrdangs) de cores, modelos, tamanhos e ocasiões específicas. Todos atribuídos aos Deus Shiva – Aquele que dá o rítmo ao universo.
Pakhawaj

Pakhawaj

 

Em uma das mágicas histórias indianas é contado que, em uma competição de pakhawaj, um jovem de braços curtos ficou revoltado por ter tido um desempenho ruim e, inconformado, ao chegar em casa cortou o instrumento ao meio. Esta divisão não foi totalente em vão, pois ele descobriu uma nova maneira de explorar o instrumento. Assim nascia a Tabla!

 

Tabla

Tabla

 

A tabla é tida como um dos instrumentos de percussão mais complexos do mundo pois, a cada parte percutidas do seu corpo retiramos um som diferente e, do conjunto destes sons (bols) derivam-se astalas (compassos rítmicos).

tabladesenhoNo início desta tradição musical os alunos não eram autorizados a transcrever conhecimento e a arte foi preservada e disseminada pela tradição oral, através da memorização e da prática instrumental constante ao longo dos anos.
A arte foi passada através das gerações por uma seleta linhagem de mestres, normalmente como herança entre familiares ou ensinada aos principais discípulos. O guru (professor) transmitia todo o conhecimento e arte ao seu sucessor, tendo em conta a capacidade do aluno, progresso no estudo e sua dedicação.
Das centenas de estudantes, poucos discípulos conseguem se tornar um concertista e menos ainda conseguem florescer e tornarem-se  artistas criativos, autênticos e virtuoses, podendo realmente manter a tradição ao apoiar as futuras gerações.
Zakir Hussain explica o Tirekite
Assim, o conhecimento, a sabedoria do espetáculo e as nuances estilísticas foram tratadas como normas e regulamentos, que foram religiosamente praticados com um sentimento de devoção e orgulho. Desta maneira, várias escolas ou tradições tomaram forma, tornando-se conhecidas como “Gharana”.
Um artista maduro, depois de ter o domínio sobre um determinado estilo (Gharana), pode absorver as técnicas, ou a estética de outras Gharanas, ou pode criar seu próprio estilo. Depois de possuir entre 3e 4 gerações de discípulos, o músico pode ter um estatuto de nova Gharana.
Normalmente, os Gharanas são rotulados com os nomes de aldeias ou cidade de onde o mestre original pertenceu ou reside.
Há dois estilos de música importantes (Bāj) para a Tabla:
a. Band Bāj                       b. Khula Bāj

 Banda Bāj

O significado literal de ‘Banda’ é ‘fechado‘, portanto, neste estilo, a ressonância do som ou do lado direito (Daya / Tabla) é controlado ou dominado.
Como a ressonância é limitada, o som, depois do toque rápido, desaparece rapidamente e, portanto, um outro curso é feito, o que culmina no aumento da velocidade.
No Banda Bāj, a Tabla é mais tocada no Chānti (borda) e o som da Baya (grave) também é controlado.
Em suma, no Banda Bāj, a importância é dada ao som da tabla fechado e na progressão rápida.
Khula Bāj
O significado literal de”Khula” é ‘abrir‘. Este é exatamente o oposto ao Banda Bāj. Neste estilo, pode-se encontrar uma clara influência de pakhawaj, o protótipo de Tabla.
A velocidade não é o mais  importante, pelo contrário, a riqueza de sons e ressonância é o essencial. Neste estilo, a Daya é tocada mais na parte do meio com a ressonância da Baya (grave).
 Com estes dois estilos básicos, depois, algumas Gharanas de Tabla foram desenvolvidos, ou seja, Deli, Lucknow, Ajrada, Farukhabad, Benares e Punjab. Estas Gharanas (escolas) tem sua própria área de perícia.
Muitos grandes mestres do século passado, contribuíram para moldar estas Gharanas de Tabla.
GHARANA Font
1. Delhi Gharana:
Esta é a primeira e a Gharana fundamental de Tabla.
Ustad Sidhhar Dhadhi Khan foi o fundador desta Gharana. Ele nasceu por volta de 1700 e, depois de aprender o pakhawaj, começou a experimentar a Tabla. Ele também fez diversas composições especialmente para Tabla e melhorou a técnica de tocar em Chāti, que fez a Tabla como um instrumento de acompanhamento para o canto popular Khayal.
Como esta Gharana deu importância para tocar em Chaati com dois dedos, ela também é chamada de ‘Do Ungaliyon Ka Baaj.
Peshkaar, Kayda, é a especialidade deste Gharana.
O Kayda desempenhado neste Gharana é geralmente em Chatusra Jaati em que as sílabas são “DhirDhir Dhit, Kit, Tete, Dhāge, Naage, Kinaa, Tinaa ‘.
Enquanto a Tabla estiver tocando rapidamente, o som é maravilhoso e sutil. Esta Gharana é famosa por tocar solo, assim como acompanhamento. Os mestres deste Gharana são Sidhhar Khan, Ghasit Khan, Kallu Khan, Munir Khan, Nikhil Ghosh, etc.
Kayda Originário da Gharana Delhi por Pt.Kishore Banerjee
 2. Lucknow Gharana:
A arte de tocar tabla solo nasceu em Nova Deli e atigiu rápida popularidade, chegando à cidade de Lucknow.
Por esse tempo, Lucknow foi povoada como morada de artistas da música e vários migraram para Lucknow de Rampur, Jaipur, Deli, etc
Naquela cidade, havia muitos cantores Thumari, dançarinos Kathak para quem o pakhawaj não era um instrumento de percussão adequado. Assim a Tabla exerceu seu  papel especial.
Desta maneira os tablistas migraram da Gharana de Delhi adaptando a técnica e conciliando-a ao Kathak e ao Thumari.
Asafuddoullah, o nababo de Lakhnow, deu patrocínio para os sobrinhos de Ust Sidhhar Khan. Eles tentaram converter a Baaj Khula de pakhawaj em Tabla e  prepararam muitas composições para o Kathak.
Nesta Gharana, o Tukda Gat, Paran, são as principais composições com as sílabas como “Dhidnag Tagenna, DhetDhet, KadDhet, Titakit, Dhetta ‘.
Este Gharana é também chamado de “Purab Baaj ‘ou’ Khula Baaj. Ust Abid Hussain Khan, Munne Khan, Pandit Biru Mishra foram celebrados artistas deste Gharana.
DhereDhere Rela  por Pandit Shankar Ghosh
3. Ajrada Gharana:
Há uma pequena aldeia chamada Ajrada Merath no distrito de Uttar Pradesh, onde Ust Miru Khan e Ust Kallu Khan se estabeleceram em Ajrada. Estes dois tablistas eram discípulos de Sitaab Khan (discípulo de Bugra Khan, filho de Sidhhar Khan, que foi o fundador da Gharana Nova Deli), assim seu estilo básico era como o Gharana Delhi.
Estes dois irmãos, que foram muito rigorosos na prática, começaram a improvisação de Aad Laya sincopado que transformou a gharana Delhi simples em um estilo complexo e sofisticado. Eles compuseram Tishra Jaati Kayda e Kaydas complexos com o uso de sílabas, como “Kat Ghitak, Dhigan, etc. Também aplicaram a utilização do terceiro dedo, jogando em ‘Siyahi “(a parte preta no centro da Tabla) e a técnica de” Ghissa sobre Dugga. Os artistas importantes deste Gharana foram Habibuddin Khan e Shamsuddin Khan.
Guru de Tabla Pandit Divyang Vakil ensinando composições de Tabla
 4. Farukhabad Gharana:
Ust Haji Vilayat Khan (genro de Khan Bakshu de Lucknow Gharana) foi o fundador desta Gharana. Ustad Bakshu Khan deu treinamento extensivo para Haji Vilayat Khan e também fez dele seu genro. Na cerimônia de casamento, Ustad Bakshu Khan deu quase 500 composições de Tabla de Haji Vilayat Khan. Esses compostos são conhecidos como ‘Dahej Gat-s’. Haji Vilayat Khan voltou para sua cidade natal, Farukhabad depois do casamento, criando assim o Gharana Farukhabad. Ustad Haji era um grande intérprete, compositor, bem como professor.
Célebres tablistas como Ahmadjan Thirkawa, Hussain Amir Khan, Gokhale Lalji, Sabir Khan, etc pertencem ao Farukhabad Gharana. A influência deste Gharana está amplamente disseminada na Maharashtra, Bengala, Hyderabad, Indore, etc. Pode-se encontrar uma mistura de som aberto, como pakhawaj como Lakhnow Gharana, bem como a velocidade de Delhi Gharana. Peshkar, Kayda, Real e Gat-Toda são a especialidade deste Gharana. Uso de sílabas “Tak Tak, Dhir Dhir ‘é comum e’ Kdaan, Ghidaan, DhiDhir KiTatak, Dhetta, NagaNaga são sílabas freqüentes.
Pandit Anindo Chatterjee – Tabla Solo
 5. Benares Gharana:
Esta Gharana surgiram há cerca de 150 anos e foi fundada por Pandit Raam Sahay, discípulo de Ustad Bhodu Khan Lakhnow Gharana.
Conta-se que em um concerto organizado pela Asafuddaula, Nawab de Lakhnow, o famoso bailarino Pandit Sharada Sahay iria participar com o seu jovem sobrinho, Raam Sahay. Durante o concerto Bhodu Khan observou que Raam Sahay era um aluno profundamente interessado pela música e tinha bom entendimento e concentração. Ele decidiu ensinar Raam Sahay e deu-lhe todo o seu conhecimento com compaixão, como a um próprio filho. Após completar seu treinamento que durou 12 anos, retornou a Benares e começou a tocar com grande dinamismo. Uma vez um velho músico comentou que “Graças a Lucknow Gharana temos a sorte de ouvir excelentes tablistas”.
Pandit Kishan Maharaj (benares gharana)
Raam Sahay desenvolveu um novo estilo de seus próprios devaneios que é conhecida como “Benares Gharana”. Há um claro impacto do pakhawaj neste Gharana, também o Laggi-Baaj ao acompanhar o Thumari é uma especialidade.
A Tabla é tocada com quatro dedos golpeando o Chaati e o Siyahi com igual peso. Neste Gharana, ao contrário de outros Gharanas, eles começam com composições mais rápida. Benares Gharana tem amalgamado os principais valores estéticos das outras Gharanas, tais como Peshkar é de Deli Gharana e Kayada de Lakhnow Gharana.
Tablistas deste Gharana sentam na postura Weeraasan enquanto brincam com o Dugga no colo e a Tabla na frente. Isto combina Khula Baaj e Banda Baaj muito eficaz com o uso das sílabas: ‘DhirDhirKit, DhigDhinaa, DhitKit, GheGhenaga, KataGadigan’.
O TeenTaal mais intenso é uma área de conhecimento desta Gharana. A maioria dos seguidores de Benares Gharana são hindus e por isso eles acreditam que a percussão é originado por Shiva e têm composto várias composições “Stuti-Paran ‘, ou seja, o louvor de Deuses e Deusas. Os principais tablistas de Benaras Gharana são Pandit Raam Sahay, Kanthe Maharaj, Samta Prasad, Kishan Maharaj, etc.
Tabla Solo – Gat por Pt. Samar Saha
large_ustad_alla_rakha zakir
 Allarakha e seu filho Zakir Hussain
Esta Gharana nasceu da tradição do pakhawaj da região do Punjab e é separada da área de influência de Deli ou de Gharana de Lucknow. O seu fundador, Pandit Lala Bhavani Das Pakhawaji foi contemporâneo de Ustad Sidhhar Khan, fundador do Gharana Delhi. Era um tocador de pakhawaj fluente e era bem versado em Layakaari complexos (desenhos rítmicos).
Este Gharana usa os quatro dedos de forma eficiente para tocar os Bandishs, que é um dos seus pontos fortes.
Tem uma influência de “Thapiyaa Baaj ‘, ou seja, de tempos em voz alta e de tocar o Daya com a palma cheia. Os tablistas deste Gharana são velozes, complexos e cheios de energia e assim, sua dinâmica é muito atraente, encantando o público de imediato.
Peshkar raramente é tocado, mas utilizam Mishra Jati e Khand Jati Kayada muito complicados. Bandish com sílabas freqüentes como ‘Dhetta, Dhadanna, TakitTakit, Kradhetta, DhirDhirKat’ são normalmente prestados nesta Gharana. Ustad Allarakha Khan, Zakir Hussain, Yogesh Samsi são os principais representantes desta escola.
Ustad alla rakha jhaptaal (10 tempos)
A Theka do Jhaptal
x                       2
dhi na | dhi dhi na |
o                      3
ti na    | dhi dhi na |
Ustad Zakir Hussain – Vintage Teental Solo
texto original: Chaitanya Kunte
texto complementar e adaptação: Sandro Shankara

Clique para saber um pouco mais sobre Sandro Shankara ou entre e curta minha fan page no facebook para ficar atualizado sobre eventos, kirtans e show e claro para ouvir minhas musicas no soundcloud.

 

DevaMantraCD
Capa do CD – Devamantra Clique na foto para adquirir

 

Deixe uma resposta

Seu email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes:
<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>