Já tinha ouvido falar deste professor de Yoga por alguns amigos, e quando fui apresentada, descreveram-me, “Esta é que é a Vera, a professora do Ashtanga Cascais!” Ele sorriu, simpático, e nem passado uns minutos, começou com a conversa que eu escuto, muitas vezes, por parte dos meus colegas. E com o devido respeito, tendem a afirmar falácias sobre o Ashtanga.

Ainda com o rosto molhado da água salgada, de prancha debaixo do braço e sorriso aberto, falou, “pois, o Ashtanga! Eu gosto imenso da dinâmica da prática, mas o problema do método é que não pode ser ensinado a iniciantes, nem a pessoas mais velhas!” Sem querer entrar numa espécie de discussão, e sabendo que todos somos livres para termos diferentes opiniões, tento sempre explicar, por forma mais simples, que  desde 2007 que lecciono Ashtanga a iniciantes, a grande maioria são pessoas que nunca praticaram Yoga na vida! E que já são alguns aninhos de experiência que comprovam que a ideia de que precisamos de começar a fazer outro tipo de Yoga, porque o Ashtanga é  uma vertente muitoooooo complicada, muitooooo difícil, com demasiadooooo grau de dificuldade, ou que apenas as pessoas flexíveissssss, fortesssss e jovensssss é que o podem praticar, são definições completamente erradas!
Não interessa o grau de flexibilidade, nem de força, a idade, o género, e aproveito e adiciono que,  também não é um impeditivo para a prática termos uma natureza mais nervosa, sermos mais inquietos, ou mais estressados. Todos podem praticar Ashtanga,  o importante é que o processo de ensino seja feito respeitando as capacidades e necessidades de cada aluno, para que o praticante tenha o tempo necessário para criar fundações importantes que o  ajudem a limpar, alinhar e fortalecer o corpo, como passos para um natural acalmar da mente. É um processo lento, pessoal e gradual, onde vamos introduzindo as técnicas definidas por Shri K. Pattabhi Jois.
Sempre que converso sobre este tema, acabo sempre por me recordar dos meus alunos mais velhos, que também foram iniciantes e que passados  anos continuam a praticar.  Atrevo-me mesmo a dizer que muitos, ao longos dos anos, tornam-se praticantes regulares, com maiores capacidades físicas, mentais e emocionais do que alguns praticante mais jovens.
Experiência e idade não são impeditivos para começar a praticar Ashtanga Yoga, a única coisa que é preciso é força de vontade e alguma perseverança. Como o Guruji falava, os únicos que não podem fazer Ashtanga Yoga são os preguiçosos!

Deixe uma resposta

Seu email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes:
<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>