Nós  seres humanos podemos ser bastante repugnantes. As agora famosas experiências sobre  psicologia de 1971 do Dr. Zimbardo e qualquer aula de história básica faz com que isso fique bem claro. Nós agrupamos e  separamos  o “nós” de “eles”, ao ponto de ter conflito entre grupos (em escalas menores e maiores) e os nossos cérebros (sim, os nossos cérebros) são programados para discriminar e classificar os nossos irmãos e irmãs humanos  de acordo com semelhanças superficiais.

uma pessoa melhorPor outro lado, nós humanos  também podemos ser uma espécie impressionantemente benevolente, compassiva e afetuosa. Nas notícias de investigação , há um estudo criativo explorando como uma prática de seis semanas de meditação sobre a bondade amorosa pode reduzir atitudes estigmatizantes e discriminatórias em relação aos moradores de rua o. Curiosamente, apenas falar de bondade afetuosa não produziu o mesmo resultado positivo – parece que você tem que realmente praticar.

Para obter esses resultados, os investigadores deram aos participantes uma das três tarefas: seis semanas de discussão sobre bondade amorosa, seis semanas de meditação sobre  bondade amorosa, ou uma lista de  controle dos resultados. Além de sugerir uma redução de atitudes negativas com os moradores de rua, o estudo também mostrou que as atitudes racistas dos participantes eram mais difíceis de mudar, do que o seu preconceito em relação aos moradores de rua.

Podemos ter esperança que esta descoberta interessante (embora perturbadora) constitua um desafio para os investigadores e provoque mais investigações sobre os mecanismos do comportamento discriminatório, além de estratégias para ajudar ao humanos  serem animais melhores.

Mas para o resto de nós, a questão é: Como é  podemos usar a pesquisa nas nossas próprias vidas e práticas de meditação? Para começar, é hora de pegar o livro de meditação (e sair da internet, agora mesmo!) – Ler sobre meditação não é o mesmo que a fazer.

Talvez mais importante é  praticar a bondade amorosa. Pode ser útil em primeiro lugar ser honesto consigo mesmo: Quem você critica? Certifique-se de caminhar suavemente no sentido de incluir esta pessoa ou grupo dentro daqueles que você sente amor.

 

RECEBA O BOA YOGA POR E-MAIL

Comments