É fácil entender por que muitos médicos e fisioterapeutas que trabalham com pessoas hiper flexíveis são contra a pratica do Yoga. Entretanto, muitos pessoas com hiper flexibilidade encontram na prática direita do Yoga uma forma de ajudá-los na construção da consciência do corpo e ajudando-os a desenvolver a força que precisam para equilibrar sua flexibilidade natural. A coisa chave a lembrar é que o Yoga é sobre achar o equilíbrio: neste caso, o contrapeso da flexibilidade que é a força.

Dicas – Aula de Yoga se Você for Hiper Flexível:

  • Encontre um professor experiente e bem qualificado, de preferência alguém com alguma experiência em terapia de Yoga ou alguém familiarizado com hiper flexibilidade, e informe seu instrutor sobre a sua condição para torna-lo consciente com sobrem quem ele está trabalhando. Deixe o professor ajudar a criar algumas metas para sua prática que não dependem da flexibilidade.
  • Evite estilos de Yoga que enfatizem movimentos curtos e rápidos, como Ashtanga ou Vinyasa, até que você tenha construído uma base sólida de força que o manterá estável e protegido de lesões nestes estilos orientados para o movimento.
  • Em vez disso, escolha estilos de Yoga que enfatize o alinhamento adequado, estabilidade e força, como Iyengar Yoga ou Viniyoga.
  • Complemente sua pratica de Yoga com treinamentos de resistência, e com exercícios de construção de força de core como pilates (novamente, com um professor experiente e que compreenda hiper flexibilidade) que irá ajudá-lo a isolar músculos importantes e começar a construir força em áreas-chave.

Alguns conselhos para praticar Yoga se você é hiper flexível:

  • Se você puder, consulte um terapeuta de Yoga qualificado em uma sessão individual para obter uma avaliação personalizada e conselhos.
  • Evite iniciar uma prática sozinho ou com um DVD: até ter mais experiência, você deve trabalhar com um professor que pode dizer se você está hiper-alongando.
  • Não se mova muitas vezes dentro e fora das posturas. Leve o seu tempo para entrar em determinada posturas, certificando-se de que você está envolvendo seus músculos durante as transições. Por exemplo, em qualquer curva para frente, ative seu quadríceps e sinta como se você estivesse tentando “levar” o chão até os músculos da perna.
  • Uma vez que você está em uma postura, evite a tentação de ir tão fundo quanto possível. Tente praticar a regra de “80%” – só vai 80% do caminho de uma postura, e pare lá para trabalhar na estabilidade. Concentre-se em ativar os músculos em torno de suas articulações chaves: tornozelos, joelhos, quadris, ombros para se certificar de que eles são todos fortemente apoiados.
  • Tenha certeza de colocar sempre uma micro-dobra em seus joelhos e cotovelos para evitar colocar muito estresse em suas articulações – combine isso com engajamento muscular, e você estará devidamente apoiado nas articulações!
  • Mantenha sua cabeça apoiada por seus músculos do pescoço, e evite a tentação de deixar a cabeça cair por si em posturas de flexão frontal ou retro-flexão .
  • Evite hiper-estender para trás em retro-flexões fortemente engajando seus músculos abdominais e concentre-se na sensação de alongamento da coluna vertebral em vez de deixa-lá “cair” para trás.

Confira também nosso artigo sobre os cuidados que devemos ter se tivermos regiões hiper flexíveis.

Namastê

Felipe Vieira