SutrasNo outono de 2007, o Iyengar Yoga Institute of New York adicionou ao seu programa um grupo de estudos dos Yoga Sūtras de Patañjali, dirigido por Carrie Owerko e Julia Shaida. A ideia do grupo era prover uma oportunidade de estudo compartilhado dos sūtras. Nem Carrie Owerko nem Julia Shaida vieram com um grande conhecimento de sânscrito ou de filosofia, mas ambas desejavam compartilhar os estudos que faziam com outras pessoas.

Svādhyaya, literalmente auto estudo, é o segundo componente das ações do yoga, conforme definido por Patañjali (YS II.1). Tradicionalmente, ele inclui o estudo de textos escritos por autoridades naquele assunto. Naquele grupo, eles focam em um sūtra de cada vez, cantam  o sūtra em sânscrito, consultam os comentários disponíveis, principalmente os contido no Light on the Yoga Sūtras of Patañjali de B. K. S. Iyengar, e consideram as implicações daquele aforismo sobre a nossa prática e nossas vidas.

Seis anos depois o grupo inicial continua e o instituto adicionou um grupo de estudos de filosofia mensal. Aos participantes tem sido solicitado dizer o que o grupo de estudos trouxe para suas vidas e por que eles criam tempo em suas agendas para estudar os sūtras. Uma das respostas refere-se a cultivar algo como comunhão, como uma “comunidade da verdade”. Este é um lugar onde a matéria, no caso os Yoga Sūtras de Patañjali, torna-se disponível para um relacionamento. É por meio deste relacionamento, deste verdadeiro encontro com um texto realmente muito antigo com algumas pessoas no presente momento, que algo mágico e maravilhoso pode acontecer. O texto se revela neste relacionamento. E aqueles que participam revelam algo de si.

Cada qual tem a oportunidade de travar intimidade com o texto, de adentrar e ouvir bem de perto à vida contida no interior do texto e deixá-la falar por si mesma. E é essa comunhão entre a vida interior de cada partícipe e aquela que existe no interior do texto, que nos auxilia a ver o sagrado em todas as coisas: livro, āsana ou pessoa, e em nós mesmos (leia a íntegra do texto em http://iynaus.org/yoga-samachar/fall-2011winter-2012/sutra-study-why).

De fato, através do estudo deste texto sagrado aprendemos a explorar a nós mesmos, nossas tendências reativas, nossos comportamentos adquiridos e padronizados, aprendemos a distinguir aquilo que somos nós e aquilo que pensamos que somos, ou que esperam que sejamos. O questionamento profundo pode ser difícil, mas feito em grupo parece mais fácil, seja porque identificamos que não somos os únicos com aquela dificuldade, seja porque o apoio do grupo nos ajuda a ver e a deliberar se queremos e vamos mudar. Essa é uma maneira de ver a verdade que existe em nosso interior mais profundo e entrar em contato com a nossa consciência pura.

Estamos reproduzindo no Yoga Soul, em Porto Alegre/RS, a experiência americana que, vemos com alegria, tem sido muito recentemente replicada em outros países, de nos reunirmos a fim de ouvir, ler e meditar sobre o significado dos ensinamentos de Patañjali e realmente praticarmos yoga em todas as suas dimensões. O estudo dos sūtras é tão ou mais importante que a prática dos āsanas: o estudo dos sūtras nos dá a estabilidade interna que procuramos obter no mat, na prática dos āsanas.

O uso dos sūtras para nortear a prática dos āsanas, especialmente yogaḥ cittavṛtti nirodhaḥ, objeto de estudo deste sábado e do Bhagavad Gītā transformam a nossa consciência na prática dos āsanas e na vida fora do mat, porque de algum modo age em diferentes níveis: físico, emocional, mental, filosófico e espiritual.

De algum modo, a imersão regular no trabalho de Patañjali nos traz gentileza, compreensão, poesia, humor, amor, beleza, alegria: espiritualidade e nos dá clareza quanto ao motivo que nos leva à prática de yoga e não de qualquer outro tipo de exercício físico.

Para quem se interessar, segue uma bibliografia de referência:

BIBLIOGRAFIA RECOMENDADA

(inglês)

Light on the Yoga Sūtras of Patañjali, BKS Iyengar, Harper Collins Publishers, London, England, 1993;

(ou Luz sobre los Yoga Sūtras de Patañjali, BKS Iyengar, Editorial Kairós, Barcelona, Espanha, 4ª edición, 2009);

Core of the Yoga Sūtras, BKS Iyengar, Harper Thorsons, London, England, 2013;

Yoga Philosophy of Patañjali, Sāṁkya-yogāchārya Swāmi Hariharānanda Āranya, 20th edition, 2011, State University of New York Press, Albany, USA;

The Yoga Sūtras of Patañjali, Edwin F. Bryant, 2009, North Point Press, New York, USA;

 (português)

Os Sutras do Yoga de Patanjali, Sri Swami Satchidananda, Centro de Yoga Integral, Belo Horizonte, Brasil, 6ª ed., 1997

A Ciência do Yoga, I. K. Taimni, Ed. Teosófica, Brasília – DF, Brasil, 4ª ed., 2006;

Yoga a Arte da Integração, Rohit Mehta, Ed. Teosófica, Brasília – DF, Brasil, 1995; 

BIBLIOGRAFIA DE INTERESSE

(português)

Árvore do Ioga, BKS Iyengar, Editora Globo, São Paulo, Brasil, 4ª reimpressão, 2009;

A Sabedoria e a Prática da Ioga, BKS Iyengar, Publifolha, São Paulo, Brasil, 2010;

Bahgavad – Gita segundo Gandhi, Ícone ed., São Paulo, Brasil, 3ª ed., 2011;

Bahgavad Gita, Vols. I a III, Glória Arieira, Vidya Mandir Editorial, Rio de Janeiro, Brasil, 1ª ed., 2010;

Filosofias da Índia, Heinrich Zimmer, Palas Athena Editora, São Paulo, Brasil, 4ª edição revisada e ampliada, 2008;

Luz na Vida, BKS Iyengar, Summus Editorial, São Paulo, Brasil, 2007; 

(inglês)

Hatha Yoga Pradipika, Yoga Swami Svatmarama, Thorsons, London, England, 1992;

Fundamentals of Patanjali’s Philosophy (theory of klesha & karma), Prashant Iyengar, RIMYI & YOG, Mumbai, India, 2013;

Light on Aṣṭānga Yoga, BKS Iyengar, Alchemy Publishers, New Delhi, India, 2008;

Lyricised Yoga Sutras, Prashant Iyengar, YOG, Mumbai, India, 2nd edition revised, 2005;

Pātañjala Yoga Sūtra Paricaya, BKS Iyengar, MDNIY, New Delhi, India, 2011;

The Yamas & Niyamas: exploring yoga’s ethical practice, Deborah Adele, On-Word Bound Books, LLC, Duluth, Minnesota, USA, 2009;

Yoguika Manas, Dr. BKS Iyengar, YOG, Mumbai, India, 2010;

Namaskār!

Deixe uma resposta

Seu email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes:
<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>