A base das posturas de pé são os… pés!

Os pés são a base sobre a qual nos apoiamos a maior parte de nossas vidas (quando estamos de pé, caminhamos, subimos escadas, dançamos, etc). O pé é a parte de nosso corpo que está em permanente contato com o solo e sobre a qual nosso corpo se sustenta em difícil equilíbrio, que muitos de nós esquecemos como surgiu. Basta recordarmo-nos observando uma criança aprendendo a caminhar e veremos as dificuldades pelas quais passamos para manter a estabilidade, enquanto a musculatura de nossas pernas, quadris e coluna iam se fortalecendo, ao mesmo tempo em que a estrutura dos ossos dos pés, pernas, quadris e coluna iam se modificando a fim de gerar o sentido de equilíbrio que, daí a algum tempo, se torna automático e, então, nos esquecemos do quão difícil é manter-se em equilíbrio… Em mais de um sentido…

São estes mesmos pés a que quase nunca prestamos atenção, a não ser que nos deem algum tipo de problema.

Do ponto de vista do Iyengar Yoga o apoio dos pés e seu alinhamento são de grande importância. Um bom suporte e alinhamento dos pés proporciona a base sobre a qual se constrói uma postura (āsana). O conhecimento da forma de apoiar e alinhar os pés nos dá a segurança de que a nossa postura parte de uma base correta que vai afetar positivamente o resto da estrutura do āsana: um prédio de qualidade não pode ser construído sobre um mau alicerce, o mesmo se dando com a construção de um āsana. Portanto, é vital partir de uma boa base.

O ALINHAMENTO DOS PÉS EM TADĀSANA, UTTITHA HASTA PADĀSANA, PRASĀRITA PADOTANĀSANA E UTTANĀSANA

Nestes āsanas os pés estão paralelos entre si, calcanhares alinhados, dedos dos pés apontando para frente do tronco, plantas dos pés espalhadas uniformemente pelo chão, a pressão dos calcanhares e dos metatarsos contra o solo deve ser uniforme, de modo que o peso do corpo se encontre no centro do pé, bordas externas dos pés paralelas às bordas laterais do mat.

A diferença entre os pés em cada uma dessas posturas se limita à distância entre eles. Em Tadāsana e Uttanāsana os pés estão unidos, isto é, calcanhares e dedões se tocam, assim como os tornozelos. Em Uttitha Hasta Padāsana e Prasārita Padotanāsana os pés estão afastados a 110/140 cm.


digitalizar0004digitalizar0008

 

 

 

 

 

O ALINHAMENTO DOS PÉS EM PARŚVA HASTA PADĀSANA, UTTHITA TRIKONĀSANA, UTTHITA PARŚVA KONĀSANA E VIRABHADRĀSANA II

Nestes āsanas o pé de trás está girado para dentro cerca de 15º e o pé da frente está girado para fora a 90º. Os pés distam entre si cerca de 110 a 120 cm. O calcanhar do pé da frente está alinhado com o centro do arco do pé de trás. No pé de trás a pressão está na borda externa do pé, que dará sustentação às posturas. No pé da frente, a pressão estará na bola do dedão do pé, que dará o equilíbrio.

digitalizar0006digitalizar0007

 

 

 

 

 

 

O ALINHAMENTO DAS PERNAS EM TADĀSANA, UTTITHA HASTA PADĀSANA, PRASĀRITA PADOTANĀSANA E UTTANĀSANA

Nestes āsanas, como os pés estão paralelos entre si, os ossos das pernas estão perfeitamente alinhados e voltados para a mesma direção e sentido. A fim de manter os ossos das pernas em seus lugares e proteger a patela, os joelhos se elevam por meio da ação de levar a parte anterior da coxa para cima, a parte anterior da coxa gira de fora para dentro, a borda interna das coxas vai para trás, o topo anterior das coxas também vai para trás, grudando-se no fêmur.

O ALINHAMENTO DAS PERNAS EM PARŚVA HASTA PADĀSANA, UTTHITA TRIKONĀSANA, UTTHITA PARŚVA KONĀSANA E VIRABHADRĀSANA II

Nestes āsanas, como o pé de trás está girado para dentro cerca de 15º e o pé da frente está girado para fora a 90º; no pé de trás a pressão está na borda externa do pé e no pé da frente, a pressão estará na bola do dedão do pé, temos que ambas as coxas frontais giram de dentro para fora, como isso alinhando o joelho com o dedo do centro do pé. A fim de manter os ossos das pernas em seus lugares e proteger a patela, os joelhos se elevam por meio da ação de levar a parte anterior da coxa para cima e o topo anterior das coxas também vai para trás, grudando-se no fêmur.

As posturas de pé são a base fundamental das posturas de yoga porque elas fortalecem os músculos e as articulações das pernas, aumentando a flexibilidade e a força da coluna. Mediante sua prática constante, cresce a força e mobilidade dos ombros, quadris, joelhos, pescoço e costas. São posturas revigorantes que renovam o corpo e a mente, eliminando tensões e dores. Em virtude dos movimentos de rotação e flexão, os músculos da coluna e as articulações intervertebrais se mantêm móveis e bem alinhadas. As artérias das pernas se estendem, aumentando o aporte de sangue para as extremidades inferiores, melhorando a circulação.

Os āsanas de pé tonificam completamente todo o sistema cardiovascular, sem irritá-lo, estimulam a digestão, regulam os rins e aliviam o estresse.

As posturas de pé também ensinam os princípios do movimento correto, algo fundamental para a prática dos āsanas em geral, mas também para a vida diária, donde ajudam na conscientização da maneira correta de sentar-se, permanecer de pé e caminhar, assim mantendo a saúde da coluna e todos os órgãos que se encontram no tronco.

Nota: todas as imagens anatômicas das posturas foram retiradas do livro de Ray Long, Posturas Chaves do Yoga , as setas indicativas do sentido do movimento foram acrescentadas por Marcia Neves Pinto.