A verdade é esta: somos pura energia. E essa energia permeia, envolve, nutre e controla não somente o nosso corpo, como a nossa mente. Tanto os órgãos e os sistemas, como os espaços vazios do nosso ser. prana (energia) serve de veículo a Consciência. Quando tal energia abandona nosso corpo físico, ele morre. Quando se desarmoniza, cria-lhe doenças. O prana se polariza em positivo (Ha) e negativo (Tha), e pode ser acumulado, transformado e conduzido.
Respirar consciente é muito importante, pois o respirar é muito mais que um ato mecânico de nosso corpo. Cada vez que inspiramos absorvemos prana, cada vez que expiramos, o distribuímos pelos vários órgãos do corpo, alimentando assim a chamada vida.
Então, como não citar os 7 principais centros energéticos do corpo humano, denominados chakras, que distribuem esta energia através de canais (Nadis) e que permeiam, nutrem e controlam os orgãos e os sistemas?
A palavra chakra vem do sânscrito e significa “roda”, ”disco”, “plexo”. Os Vedas (1.500 a.C.) contêm os mais antigos registros sobre chakras de que se tem notícia. Quando foram escritos, o Yoga já sistematizava o conhecimento e o trabalho energético dos chakras.  Por isso essa sabedoria milenar me fascina tanto…. há 1.500 a.C. os hindus já sabiam disso!! Coisa que o lado de cá do mundo descobriu-se há poucas décadas!!!
Os chakras estão dispostos desde a base da coluna vertebral até o alto da cabeça, e cada um corresponde a uma das sete glândulas do corpo humano. Eles trabalham como vórtices que giram em grande velocidade, fazendo assim com que a energia flua para cima, por intermédio do sistema endócrino.
Os chakras são conectados entre si por uma espécie de tubo etérico, como um canal, denominado Nadi.
O principal Nadi chamado Sushumna tem sua base na região do primeiro chakra, onde reside uma energia potentíssima chamada Kundalini, e se estende ao longo da coluna vertebral (medula espinhal) por onde saem outros dois Nadis alternados:

Ida –  sai da base da medula espinhal, sobe pela coluna e termina na narina esquerda;
Píngala – sai da base da medula espinhal, sobe pela coluna e termina na narina direita.

Partindo do chakra raiz, Ida e Pingala se cruzam 4 vezes ao longo da coluna.
Há no corpo humano um grande número de nadis, no entanto, estes são os 3 principais.

Prazer, Fisiologia Sutil

A Kundalini é representada simbologicamente no homem como uma serpente adormecida, enroscada na base da coluna. Quando a Kundalini é despertada, produz um calor muito intenso, que avança pelos Nadis em direção a cada chakra de forma sistemática e gradual, até chegar ao sétimo chakra localizado no topo da cabeça, desenvolvendo os poderes psíquicos latentes no homem, trazendo assim a conexão direta com o Divino, conduzindo a iluminação.
A subida gradativa da Kundalini vai mexer no seu campo emocional e energético. Vai fundo em situações gravadas no seu inconsciente e sub-consciente e traz à tona descargas positivas ou negativas que talvez não sejam fáceis de resolver, por isso é importante ter um professor por perto.
Mas não se assuste, segundo as escrituras mais antigas, você pode adquirir até poderes paranormais. Basta praticar muito, estudar, ter um mestre, viver, respirar e comer yoga. Fácil não?
Claro que não.
São poucas as pessoas que conseguiram esse despertar, e podemos chama-los de Avatares aqui na Terra.
Mas o conhecimento de como a energia entra e trabalha no nosso corpo é um enorme avanço para nossa própria consciência e evolução. Os Asanas e Pranayamas são capazes de movimentar a energia estagnada, conduzir e alimentar nossos centros energéticos. Por isso a prática constante destas técnicas fazem parte dos Asthanga de Patanjali, nos ajudando a alcançar Moksha (libertação) e nos conduzindo ao caminho do Raja Yoga.

Namastê

Melissa Amita

Deixe uma resposta

Seu email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes:
<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>