Antes de começar o texto sobre respiração, este post é o último deste ano e desejo a todos leitores da revista um final de ano repleto de amor, presença e felicidade.

Que o novo ciclo seja o começo de uma vida mais leve, mais voltada para relações e a integração com o todo e que o respirar consciente faça parte de cada momento da vida de vocês, por que prana é vida e só a vida cura, liberta.
Sempre ouço dos meus alunos o quanto a Yoga melhorou a vida deles, no aspecto físico do alinhamento da postura e o fortalecimento e a atenção do corpo, a mente, e principalmente a consciência  da respiração.
Todos falam da importância da consciência respiratória e o quanto respirar profundamente relaxa e traz a sensação de bem-estar imediato.

Por esta razão muitos querem entender todos os segredos e kryas, para obter uma vida mais saudável e plena. A prática de exercícios respiratórios é chamada de pranayama no Yoga.
Yama = Quer dizer controle
Prana = Movimento, respiração.

Alguns estudiosos acreditam que a tradução da palavra se perdeu com o tempo, e que o verdadeiro significado para Pranayama seria o aumento da energia Vital (PRANA), através de práticas respiratórias.
Independente da linha de Yoga praticada o uso dos pranaymas são essenciais para uma aula completa. Técnicas de pranayamas são citadas em todos os livros de Yoga, desde de Hatha a Tantra, pois acredita-se que através dessa expansão da consciência podemos obter melhor domínio de nossos pensamentos, emoções e melhor entendimento da mente e quem realmente somos.
Seria ela a ponte entre, corpo, mente e Deus.

Quando o assunto é pranayama, sempre menciono as palavras do filósofo Osho, sobre o tema:
Segundo ele a respiração pode ser vista de duas formas: Pois é uma ponte.
Uma parte está ligada a você e a outra a existência. Você pode considerá-la voluntária ou involuntária.
Se você quiser pode inspirar profundo, controlar a saída e a entrada de ar do corpo, mas se  não o fazer, não há problema, ela continuará a entrar e sair do seu corpo involuntária.

A outra parte está ligada a própria existência. Você pode pensar nela como algo que inala, que absorve, ou do contrário, ela é que inala você.
Não é você que está respirando é a existência que respira você. Basta uma mudança de postura e respirar acontece naturalmente, sem esforço, você relaxa por dentro e pouco a pouco torna-se ciente que não está respirando – A respiração acontece sozinha. Isso é gracioso- tem ritmo, e um ritmo harmonioso. Quem a produz?
A Existência – é ela que respira você.
E assim a meditação começa a crescer na sua vida. E para ter a consciência da sua respiração, você pode fazê-la em qualquer lugar, até mesmo no mercado, andando nas ruas, por que  a partir daí tudo se tornará divino a você.

E desejo a todos uma vida Divina e de muita consciência. Feliz Final de ano a todos.

Até 2015!!

Namastê

Comments