A primeira parte do Asthanga de Patanjali, equivale aos dois primeiros passos do Yoga:Nyamas e Yamas. Eles são subdivididos em códigos éticos, aquilo que podemos fazer e o que podemos evitar para darmos os primeiros passos para a iluminação, contribuindo assim, para uma sociedade melhor.

YAMAS

1. Ahimsa – Não Violência: Evitar ser agressivo e violento contra si e contra qualquer ser vivo. Seja em palavra, pensamento ou ação. Respeitar-se, corpo e mente. Distanciar-se da fúria do outro.

2. Satya – Verdade: Em palavra, pensamento e ação. Dizer a verdade sem agredir e ofender a outra pessoa.

3. Asteya – Não Roubar: O tempo, dinheiro e idéias dos outros. Não apropriar-se do que não nos pertence.

4. Bramacharya – Controle: Controle do prazer sensorial. Sobre o sexo, para não tornar obsessivo e compulsivo.

5. Aparigraha – Desapego: Praticar o desapego do resultado da prática, de relacionamentos, das posses materiais. Livrar-se da ambição e do desejo de possuir mais do que o necessário.

NYAMAS

1.Saucha – Pureza interna e externa: Praticar pureza física e mental

2.Santosha – Contentamento por ser: Ser contente e agradecido com o que “É” e possui dá uma sensação de satisfação e paz. Muito diferente de ser acomodado.

3.Tapas – Disciplina: Austeridade sobre si. Força de vontade para atingir objetivos “maiores”. Esforço sobre si mesmo.

4.Swadhyaya – Auto-estudo: Observa-se atos, emoções, palavras e pensamentos. Análise e conhecimento da própria personalidade. Estar consciente de nossas qualidades individuais, perceber as nossas forças e fraquezas, para melhor saber quem somos.

5.Ishvara Pranidhana – Entrega ao Senhor : Oferenda de todas as suas ações a força soberana- Deus/Deidade do coração do praticante.

E como fazer para colocar tudo isso em prática?

Lição de Casa. Sim!! Fácil é pegar um livro, ler num blog, escutar o que o mestre diz, anotar. Tudo isso é teoria. Para se ter resultado é preciso praticar.

Escolha um ou dois, entre eles, para praticar por uma semana, duas. Aumente para um mês. Gradativamente vá incorporando um a um. Não se cobre demais, e não queira pratica-los juntos. O importante é o aprendizado que vamos adquirindo aos poucos. A observação de cada detalhe.

Estou fazendo a minha parte. Escolhi Satya, a Verdade. Resolvi abrir mão das mentirinhas bobas. Como não sou de inventar estórias pra impressionar ninguém porque a verdade muito me interessa, pensei que seria fácil . E comecei a perceber o quanto é difícil ser verdadeiro em todos os momentos.

Primeiro no trabalho. Por muitas vezes para satisfazer o cliente, mentirinhas bobas tem que vir a tona, apenas para dar a impressão que sim, ele tem razão (mesmo não tento). Ou que estou tentando (mesmo ja sabendo q o resultado para ele é: Não, senhor) A minha vontade é jogar a real, dizer que apenas vamos enrolando eles para criar um expectativa que não será atendida. Mas como tenho contas a pagar, engulo sapo.

Segundo: “Oi tudo bem. Como vc está? Tudo óootimo…Quanto tempo…bla bla bla. vamos marcar um encontro. A resposta: “Claro, precisamos!”, mesmo sabendo que você não vai mais ver a pessoa tão cedo por “n” razões. Você só quis ser simpático.

Terceiro. Quando alguém te pergunta alguma coisa, e você tem preguiça de responder, mesmo sabendo a resposta. Sim, isso acontece comigo. Para fugir, ou não entrar em discussão, digo que não sei. Depois me arrependo.

Quando o telefone toca e você não quer atender, ou fingi que não ouviu. Depois fala ou encontra com a pessoa, com desculpas por não ter atendido a ligação. E claro, a pessoa sabe que são desculpas. A não ser que a pessoa seja uma chata, e você atenda dizendo isso pra ela….hahaha.

Quando você tem que sorrir quando quer chorar. Ou quando tem que ficar sério, quando tem vontade de gargalhar.

Aí você começa a perceber que sim, você mente! E começa a observar o porque. Por não magoar o outro, por receber ordens, para não entrar numa briga, entre outros. E começa a enxergar que a sociedade manipula tudo.

Satya é ser autêntico. É ter discernimento para transmitir a verdade sem magoar ninguém, sem iludir. É ter coragem de ser você. Infelizmente, em algumas ocasiões não depende só de nós. Mas onde pudermos praticar a verdade, estaremos contribuindo para a nossa harmonia interna. E quando estamos em harmonia com a gente mesmo, o mundo percebe.

NAMASTÊ

Melissa Amita

RECEBA BOA YOGA POR E-MAIL

Deixe uma resposta

Seu email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes:
<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>