Siga o seu coração.
Soa bonito, inspira, chega até parecer fácil.
Mas quando você realmente para pra pensar neste conselho você se pergunta: Como identificar aquilo que o meu coração quer?
Hoje, somos bombardeados de informação. Todo mundo tem uma dica, uma experiência pra contar, algo pra vender.
Nossos sentidos, visão e audição, estão sobrecarregados, e por consequência, intoxica nossos órgãos de ação: nossos pés, nossas mãos, nossa boca, e por fim a raiz de todos estes comandos, a nossa mente.
Vejo muita gente ensinando (até mesmo euzinha) que para minimizar estes males, basta sentar um pouquinho, fechar os olhos por alguns instantes e prestar atenção na respiração.
Só por 5 minutinhos.
Desligue-se do mundo externo e observe sua respiração.
Mas, e depois dos 5 minutinhos?
Tudo volta ao normal porque em 5 minutinhos não temos a capacidade de acessar o nosso interior.
Para se aprofundar em si mesmo, é necessário perseverança.
E ultrapassar estes 5 minutinhos com os olhos fechados, mesmo que gradativamente é o primeiro passo que nos leva a este caminho.
Depois dos 5 minutinhos podemos começar a entrar no estado de PRATYAHARA, algo muito importante, mas que não vejo muita gente falar sobre o tema.
PATANJALI, em seus Yoga Sutras revela que PRATYAHARA é um estado onde existe abstração sensorial. Ou seja, os sentidos se abstraem de qualquer objeto externo, na qual a mente não reconhece o objeto em questão.

Segundo, Pedro Kupfer, ” O PRATYAHARA oferece muitos métodos para preparar a mente para a meditação. Também nos ajuda a evitar os apelos do ambiente… é um maravilhoso instrumento para tomar controle da própria existência e abrir-nos para nosso ser interior”.

Com mais de 5 minutinhos por dia e perseverança, você tem acesso as ferramentas que te levam de encontro ao seu interior.
Calando as vozes externas, e a poluição visual você começa a aquietar os órgãos de ação, levando a mente a um estado profundo de recolhimento, e assim revelando o que existe de verdadeiro e belo em você. Dentro de nós estão todas as respostas, todos os passos que nos levam ao nosso Dharma, o caminho do nosso coração.

Para uma leitura mais completa sobre Pratyahara acesse o artigo de Pedro Kupfer:

http://www.yoga.pro.br/artigos/125/3022/pratyahara-o-elo-perdido-do-yoga

Namastê _/_

Melissa Amita

RECEBA O BOA YOGA POR E-MAIL