Existe muita confusão a respeito das indicações e contra-indicações da soja.

Antigos relatos indicam a soja como um alimento com nutrientes tóxicos e com difícil grau de digestão resultando em problemas de saúde.

Mas do outro lado do murro encontramos pontos que explicam o poder da soja na prevenção de muitas doenças.

De que lado devemos ficar?

Quais são os nutrientes tóxicos ?

Algumas plantas utilizam seu mecanismo de auto proteção formada por nutrientes tóxicos para repelir insetos e animais que poderiam comê-los . Feijão é famosos por estes “anti-nutrientes” que muitos de nós sabemos por experiência qual é o desafio de digerir.

Diferente da maioria dos grãos, os anti-nutrientes da soja não podem ser removidos com uma simples lavagem ou cozidos e estes nutrientes apresentam riscos significativos para a saúde.

Anti-nutrientes vem em uma variedade de formas. Abaixo, listamos os principais componentes da soja que, de acordo com muitos especialistas, são uma causa definida para preocupação:

O primeiro grupo preocupante de anti-nutrientes é chamado os fitatos. Fitatos ligam-se a minerais tais como zinco, cálcio, magnésio, ferro e cobre e podem retirar-los do corpo, resultando em deficiências de minerais. Juntamente com os inibidores da enzima, fitatos podem bloquear a absorção de nutrientes da soja de modo que qualquer benefício possível é cancelado. Dito isto, a proteína da soja tem sido utilizada com sucesso no tratamento de desnutrição energético-proteica leve e moderada em algumas das crianças mais doentes do mundo, o que indica que os nutrientes da soja podme ser extremamente acessível e nutritivo.

 Goitrogens são substâncias que inibem a função da tireoide. Quando a tiroide é comprometida ela pode aumentar em uma tentativa de absorver nutrientes necessários ausentes, resultando numa massa chamado de bócio. Soja inibe a captação de iodo, aumentando o hormônio estimulador da tireoide (TSH) em uma tentativa de impulsionar a função . Em 1991, pesquisadores japoneses relataram que o consumo de menos de 30 gramas ou 2 colheres de sopa de soja por dia em apenas um mês resultou em um aumento significativo de hormônio estimulador da tireoide – sinal disfunção da tireoide. Os defensores da soja argumentam que em pessoas com uma tireoide saudável, não há mudanças significativas registradas.

Genisteína e daidzeína, as moléculas de isoflavona da soja, inibem uma enzima envolvida na síntese de hormônios da tireoide e pode suprimir a função da tireoide também.  Essas isoflavonas também foram relatadas por perturbar a função hepática, hormônios reprodutivos e da fertilidade. Especialistas que recomendam soja reconhecer isso, mas argumentam que em indivíduos saudáveis, estudos mostram que os produtos de soja não têm efeitos negativos sobre a função da tireoide.

Os estudos em vitro sugerem que as isoflavonas inibem a síntese de estradiol e de outros hormônios esteroides. Em 1992, o serviço de saúde suíço estimou que 100 gramas de proteína de soja, o que equivale a cerca de 4 shakes de proteína, tem estrogênico equivalente a uma pílula anticoncepcional.  Os apoiantes da soja dizem que a genisteína é realmente estrogênica de uma forma positiva. De acordo com esta teoria, ele interage diretamente com o gene notório causador de câncer HER2, inibindo sua ativação pela maquinaria celular e impedindo o avanço do câncer.

Os produtores de soja estão bem conscientes da questão anti-nutrientes e afirmam que eles são removidos durante o processamento. [3] O único risco, de acordo com eles, é quando se come grãos de soja em bruto.

Fermentação: A Antiga Solução

Na China, a descoberta de que a soja poderia ser cultivadas ou fermentadas trouxe consigo uma mudança na reputação da soja. Enquanto os não fermentados de soja ainda eram evitados como um alimento, o processo de fermentação apareceu livre de anti-nutrientes tóxicos e além disso, lançou alguns benefícios surpreendentes. Durante a Dinastia Ming, a soja fermentada natto realmente encontrou seu caminho na Medicina Chinesa  como um remédio nutricional para muitas condições de saúde.

Hoje, muitos especialistas acreditam que a fermentação é a única maneira de neutralizar os anti-nutrientes perigosos da soja.

Talvez  pode ser melhor classificada como um medicamento (no seu estado fermentado), em vez de um alimento.

O Olhar Ayurveda

De acordo com a ayurveda, a soja é uma proteína muito difícil de digerir e não era tradicional da dieta ayurvédica. Na verdade, alguns médicos ayurvédicos são fortemente contra a soja e não consideram um alimento de fácil digestão. Talvez o conhecimento dos seus  anti-nutrientes rejeitou a soja na Índia.

Energeticamente, foi considerado pesado e com efeitos diretos na mente. Acreditam que a soja atua é mais parecida mais como uma castanha do que um leguminoso .

Curiosamente, alimentos fermentados também não são aceitos na ayurveda e produtos de soja fermentados nunca foram parte da dieta ayurvédica. De acordo com a ayurveda, alimentos fermentados podem interferir na saúde mental . Como resultado, alimentos fermentados, não foram usados ​​em Ayurveda e a natureza medicinal dos alimentos de soja fermentados tais como natto era desconhecida.

Em resumo, a soja é geralmente evitada em ayurveda, enquanto alguns especialistas ayurvédicos permitem com moderação. Soja não deve ser sua principal fonte de proteína.

Natto (Soja Fermentada) e a Medicina Chinesa antiga aplicada

Alimentos de soja fermentados, como o tradicional miso, molho de soja, tempeh e natto são comprovadamente seguro em ambos os lados e têm propriedades benéficas documentados para a saúde. Natto, em particular, tem sido documentado e usado com segurança para suporte cardiovascular e circulatório no Ocidente nos últimos 20 anos.

Natto é extremamente rico em vitamina K2, que é rica em enzimas fibrinolítico chamados nattokinase.

A enzima é uma enzima fibrinolítica, que protege o corpo contra a formação de coágulos. Os coágulos de sangue, ou trombos, pode bloquear o fluxo de sangue nas artérias do coração e do cérebro e causar angina, infarto do miocárdio ou acidente vascular cerebral. Fibrinolítico  são produzidas pelo corpo, mas à medida que envelhecemos, a produção destas enzimas declina.

Conclusão
  • Soja não deve ser sua principal fonte de proteína. Evite pílulas de soja. Evite ou reduza o leite de soja, queijo de soja e outros alimentos processados de soja.
  • Uma nota sobre tofu: no Japão, tofu é significativamente mais cultivados com um gosto muito mais forte do que é aqui nos países ocidentaiss. Tofu deve ser consumidos com moderação.
  • Desfrute de produtos de soja fermentados, como tradicionalmente miso, tempeh natto, e tradicional molho de soja. Ainda assim, certifique-se que mesmo esses produtos não são OGM. Muito importante!
  • Considere incluir natto ou alimento rico e Nattokinasa como um suplemento para manter a saúde ideal de suas artérias e proteger de aterosclerose e coágulos sanguíneos.

Por  John Douillard

Comments