Conta se a lenda que quem conta um conto sempre aumenta um ponto. Nos estudos da mitologia antiga ouvimos várias versões sobre o mesmo tema e é difícil saber de fato qual a real versão da história. E quando escrevo sobre mitologia, é claro que conto a história que mais me chamou a atenção ou de certa forma, a que mais me agrada. Afinal todas elas tem suas semelhanças, os pontos que mudam de um lugar para o outro.
Depois de alguns meses praticando Yoga, várias turmas estão aptas a dar início a essa sequência que é praticamente a base do yoga, compartilho aqui com vocês os fatos mais marcantes que já li e ouvi da história e das referências mitológicas do Surya Namaskar.
Muito já se ouviu e se falou sobre a Saudação ao Sol, e acredito que não exista certo ou errado quando se trata de mitologia, pois muito desse conhecimento foi transmitido oralmente, atravessando gerações e com o passar do tempo, foi adaptando-se e ganhando novas interpretações.
Também por isso é difícil saber exatamente a verdadeira história que originou o Saudação ao Sol, o importante é que todos os relatos têm o mesmo intuito, desvendar a origem dos movimentos, algo bem mental, que nós ocidentais sempre buscamos. Entender o por que das coisas.

O termo Surya vem do sânscrito e tem inúmeros significados na religião Hinduísta. Diz-se que a tradução literal da palavra seria “A Suprema Luz”. O que, de acordo, com a tradição hinduísta, se refere ao Deus Solar.
Os textos escritos na tradição hindu também se referem ao Deus Sol como a presença visível de Deus no nosso dia-a-dia.
Outra referência mitológica a Surya seriam seus dois filhos, Shani e Yama.
Shani é responsável por avaliar a ação humana em vida, podendo punir ou recompensar.
Por outro lado, Yama é responsável pelas conseqüências de nossas ações após a morte.
A adaptação do Surya Namaskar para Yoga vem da tradição Hindu da adoração ao Deus Sol, que é feito quando o sol nasce e se põe . São 10 posturas de Yoga feitas numa sequência dinâmica, com a intenção de despertar em nós a gratidão pelas dádivas recebidas da natureza, principalmente ao Sol. Além de trabalhar nosso corpo físico de forma que nos sentimos mais fortes e revigorados, o elemento fogo, representado pelo simbologia do sol está em sua evidência. O Agni, ou fogo interno que nos rege é o elemento transformador que trabalhamos quando praticamos o Saudação ao Sol.

Quando fui a Índia pude presenciar de perto os povos hindus saudando o sol todos os dias de manhã e à tarde na beira do Ganges. O Yoga lá é como o futebol para os brasileiros, é feito com amor, devoção, não tem explicação racional. É algo que vem da alma, é simplesmente divino. Talvez seja essa a justificativa para o olhar dos hindus ser tão respeitador à natureza. Um olhar parecido com o dos nossos índios, que também possuem uma profunda devoção e respeito pelo poder da natureza e seu impacto sobre nós, homens.

O Yoga e as posturas do asanas do yoga, são representações da natureza ou uma forma de devoção a esta força superior. Muitos asanas também são a imitação de alguns animais.
A filosofia Yoga acredita que todos os elementos presentes na natureza está em nós, praticamos os asanas para ter consciência desta força externa que vibra em nós. A água, a terra, o fogo, e o ar, fazem parte do nosso ser, são elementos que determinam o nosso bem-estar físico e mental, quando eles não estão em harmonia, adoecemos.

O yoga também é a harmonização, controle e consciência dos elementos da natureza em nós.

No caso do Surya Namaskar, o elemento trabalhado é o fogo – Agni, o nosso fogo divino. O que nos dar energia de transformar e realizar o que queremos.
Pessoas que tem o elemento fogo muito baixo, são mais propensas a terem tendências de doenças como depressão. As que possuem este elemento em excesso, tem dificuldades de ter foco, são hiperativas e tem que se forçar a fazer uma só coisa de uma só vez.

O saudação ao sol nos revigora e trabalha o equilíbrio deste fogo interno.

Wal Nunes
Studio Yoga Integral

Comments