Muitos dos leitores são praticantes do Yoga, tirando de lado a discussão se o Yoga é filosofia, técnica entre outros aspectos, muitos pensam como fazer uma auto-avaliação de todo esse processo de “União”.

Esse  balanço pessoal é  difícil porque é difícil ser objetivo olhando para nós mesmos. E notar o quanto o processo é imperfeito mas essa avaliação é importante porque francamente nenhum professor tem tanto tempo ou acesso a todas as informações pertinentes sobre o estado do nosso corpo, mente e coração.

Passar horas, dias, meses e anos sobre o tapete de Yoga faz essencial verificar se as coisas  estão ou não funcionando.

O praticante deve ter interesse em chegar à conclusão de que seu tempo não foi desperdiçando e que não teria sido melhor se tivesse investido em outra atividade.  Sendo honestos e utilizando de métricas pré-determinadas para medir a eficácia das práticas.

Porque ter uma métrica para o Yoga?

O objetivo do Yoga é uma maneira infalível para começar uma discussão que é fazer contato com o nosso verdadeiro eu e reconhecendo esses mesmos como divino e infinito e compreender que a divindade existe em todos os outros seres.

Nossa sabedoria se manifesta fazendo cada um de nós melhores para nós mesmos e para os outros. Afinal se acharmos que as pessoas são divinas  então vamos tratá-las muito bem e o mesmo vale para a maneira como tratamos a nós mesmos. Então, a nossa gentileza aumenta em proporção que o Yoga está  funcionando.

Gentileza. Ai está uma métrica quase ideal para avaliar a eficácia do processo.

Se estivéssemos propondo algo científico então gentileza seria uma métrica problemática porque é uma coisa muito difícil de quantificar. (Você teria que reduzi-la em suas partes observáveis ​​e que iriamos acabar com uma lista de perguntas como: Será que ela sorri para o caixa do mercado? ou Ele deixou um outro carro passa em sua frente no transito ?)

No entanto, achar que o aumento percentual de gentileza está atrelado em quanto se estuda ou pratica Yoga pode ser falho. Muitas pessoas tendem a ficarem mais gentis com outras pessoas e esquecem de serem gentis com elas mesmas.

A filosofia do Yoga nos diz que a distinção entre nós e as outras pessoas é ilusória, assim sendo gentil com nós mesmos é tão importante quanto ser para os outros.

O numero de praticantes de Yoga aumenta a longos passos ao redor do mundo levando a acreditar que a Gentileza no mundo deve tornar-se um “epidemia”. Será?

 

Deixe uma resposta

Seu email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes:
<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>