Neste post vamos explorar a relação entre o tensor da fáscia lata (TFL) e o glúteo máximo. Além disso adicionamos dicas para ativar o músculo adutor magno como um agente sinergista do glúteo máximo. O conhecimento dessas relações pode ser usada para refinar e estabilizar as posturas como da lua crescente e guerreiro I e II.

O “Deltoide” do quadril . . .

Você pode pensar do TFL como o paralelo do músculo deltoide anterior do ombro que flexiona e gira internamente a articulação. O glúteo máximo é semelhante ao deltoide posterior que estende e gira externamente a articulação. Ambos os músculos podem abduzir o quadril. Eles são antagonistas na flexão/extensão, rotação e agentes sinérgicos na abdução.

 
O deltoide do ombro e o “deltoide” do quadril.

O glúteo médio e minimus ficam entre o TFL e o glúteo máximo e são comparáveis com a porção central do deltoide. Eles são abdutores e, dependendo da posição da articulação do quadril, agentes sinérgicos da TFL ou glúteo máximo. Por exemplo, se o quadril esta em flexão e rotação interna, o glúteo médio e minimus criam sinergias a TFL para estas ações. Se o quadril está estendendo e girando externamente , eles criam sinergias com o glúteo máximo. Por esta razão, a combinação do tensor da fáscia lata e glúteos são por muitas vezes chamados de “deltoide” do quadril.

A frente do quadril na postura do  Guerreiro II flexiona, abduz, e gira externamente . Esta combinação de movimentos é conhecida como “circumduction” e envolve a contribuição de vários músculos. Tensor da fáscia lata e glúteos produzem uma abdução componente. Dependendo da posição da articulação, cada um destes músculos tem várias ações possíveis que podem criar sinergias ou opor uma das outras nas ações dos músculos. Em toda a faixa de movimento do quadril, a TFL e glúteo máximo formam um par antagonista/sinérgico.

Aqui está o Dica. . . 

No Guerreiro I e II, traga o joelho dianteiro em linha com o quadril e tornozelo. Pressione suavemente a sola do pé em tapete. Isso ativa o TFL e glúteo máximo, respectivamente (quadríceps também ativa). Pressione a parte de trás do pé no tapete para estabilizar e depois suavemente tentar arrastá-la do pé dianteiro. Este atua para estender e abduzir o quadril e estabilizar a pelve. Equilibrar estas orientações para a frente e para  trás das pernas e facilitando a força muscular para alcançar a imobilidade na postura.

 
Ativando o glúteo máximo e tensor da fáscia lata no Guerreiro II

Adicionando o músculo adutor magno…

Como uma dica adicional de requinte, envolva o músculo adutor magno com cuidado tentando arrastar o pé de trás para dentro da linha mediana (agem aduzindo). Porque o pé é limitado pelo tapete, o vigor dessa ação é transmitida para a origem do músculo, como mostrado aqui e funciona especialmente no Guerreiro I para aperfeiçoamento da posição da pelve.

 
Ativando o adutor magno da perna traseira no Guerreiro I.

O efeito global destas ações é produzir uma série de forças que estabilizam o asana da fundação para o núcleo. Podemos sentir  essas indicações primeiro por meio de uma variação mais simples da postura e construindo o envolvimento muscular gradualmente. Isso ajuda com estabilidade e consciência.

Sempre, no seu caso específico, consulteum profissional da saúde antes de praticar yoga ou qualquer outro programa de exercícios. Sempre pratique Yoga sob a supervisão direta de um instrutor qualificado.

Dê uma olhada nos livros da Bandha Yoga em português na página da  Traço Editora  para aprender mais sobre como combinar a ciência ocidental com a arte do Yoga…

Namasté

Traço Editora e Bandha Yoga

 

Comments