O biólogo James Gordon Lovelock, acreditava que a Terra era um organismo vivo, que ele chamou de “Gaia”. Terra, nossa casa itinerante. Nossa morada é mais que um organismo.  É uma mãe protetora em nossa jornada esse plano material, em nossa sadhana.

Em uma viagem recente tive a oportunidade de vivenciar pela primeira vez tudo aquilo que convencionamos chamar de Amazônia. Esse processo me levou a uma reflexão profunda sobre o significado de sustentabilidade e ecologia. Não fiquei surpresa ao descobrir que o termo Ecologia tem origem no grego “oikos”, que significa justamente: casa. O seu objetivo primordial é compreender o modo como esse organismo, Gaia , se organiza, como se relacionam todos os seres que o constituem e como eles se mantem em um equilíbrio natural.

Equilíbrio e sintonia com a Consciência Suprema. O Yoga é naturalmente ecológico. A tradição do Yoga fala sobre a importância de vermos a presença do divino em tudo. Esse é o principio de Brahmacarya. Sem a compreensão de que há algo vivo e sagrado na natureza nunca poderemos ter uma relação verdadeiramente respeitosa com o nosso planeta e todas as formas de vida que nele habitam. Sem humildade em relação às outras formas de vida, compaixão, amor pela natureza o movimento ambientalista não passa de um movimento para a melhor gestão de recursos naturais. De fato, começo a compreender que Brahmacarya é a verdadeira essência da sustentabilidade e ecologia. Em locais pouco habitados e transformados pela ação do homem como o ambiente da floresta podemos vivenciar ainda mais o sentido de Brahmacarya. Lá o prana flui em todas as formas animadas e inanimadas. É um reduto da fonte divina. Expressão do todo transcendente.

Ao compreendermos que Gaia está em sintonia profunda com a Consciência Suprema torna-se parte de nossa meta espiritual harmonizarmo-nos com ela. Em seus ensinamentos Prabhat Ranjan Sarka nos explica que entre os Yamas e Nyamas existem dois princípios que devem reger a conduta humana. Um é Brahmacarya e o outro é Ishvara Pranidhana (entrega ao absoluto). Isso significa que todas as nossas ações devem pautar-se no objetivo primordial de união com Deus. É portanto,  nosso dever como aspirantes espirituais desenvolver uma postura vigilante em relação aos nossos hábitos pessoais visando assim cultivar esse equilíbrio ambiental permitindo que nós e as demais criaturas do planeta tenhamos  as mesmas oportunidades de desenvolvimento espiritual podendo desfrutar do contato com a mãe terra.

Como podemos vivenciar Brahmacarya e Ishvara Pranidhana transformando-os em atitudes e ações ecológicas concretas? Esse será o tema de uma série de artigos com dicas e reflexões sobre ecologia, sustentabilidade e Yoga que daremos início nesse mês! Não percam!

Namastê

Mariana Cordeiro

A ênfase e novidade do conceito de Lovelock que procuramos destacar é a ideia de que a Terra é na realidade um organismo vivo. Essa é a principal questão tratada por ele. O mito grego sobre a criação dos planetas por Gaia inspirou o pesquisador que na realidade nomeou seu estudo Hipótese de Gaia.

Deixe uma resposta

Seu email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes:
<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>