Muitas vezes eu quero literalmente bater a minha cabeça na parede. Será que eu deveria? Além de estudar, preparar aula, achar um lugar bacana pra filmar, preparar a câmera, filmar, editar o vídeo, gravar o som, editar o som e o vídeo de novo, carregar, escrever as descrições das aulas… um processo de mais de 10 horas para cada 1 hora de aula de yoga on-line. Aí eu faço quase tudo de novo em português! Será que eu estou ficando maluca? Não. Eu paro e penso comigo mesma… isso não é pra mim, é pra aquela pessoa que sabe que vai poder se beneficiar deste trabalho. Diversas aulas de yoga on-line em português de diferentes estilos e níveis em um só lugar. Eu poderia ter beneficiado de um trabalho como este 12 anos atrás.

Eu me lembro de quando eu tinha quinze anos e a minha irmã veio pra casa toda empolgada dizendo que tinha encontrado um professor de yoga na vizinhança. Eu fiquei toda empolgada também! Eu lembro da gente conversando com a minha mãe sobre a nova descoberta e ela dizendo: “… minha nossa! Mas é muito caro. A gente não tem condições de pagar. E você já tem um monte de atividades na escola.” E foi assim… puff! O yoga entrou e saiu pela mesma porta no mesmo dia. Mas aquela palavra sempre ficou em minha mente. “Será yoga, iôga, ou ioga…” eu pensava.

Anos depois veio a faculdade, e um professor abençoado me adotou. Sem taxas, sem cobranças, tudo que eu precisava era a vontade de aprender. E isso eu tinha! Fiz inúmeras aulas de yoga, tai-chi, kung-fu, aikido e tirei proveito de tudo que eu pude durante o nosso limitado tempo juntos. Em 2008 veio Londres. Yoga? Nem ouvi falar. Foi mais fácil encontrar um estúdio de aikido e eu decidi ficar por ali mesmo. Quando eu voltei pro Brasil o meu professor já não morava mais na mesma cidade, mas a busca tinha que continuar. Eu me lembro ter mudado para o mesmo bloco de uma escola de yoga em São Carlos, no interior de SP. Fui visitar a escola toda empolgada! R$ 220 por 3x aula por semana. “Não da pra eu pagar não moça”, eu disse pra professora, “… eu sou estudante, olha eu estudo na (1) UFSCar.” Eu perguntei se podia fazer menos aulas ou se eu podia trabalhar pra ela em troca. Nada feito. “Eu tenho que pagar aluguel” ela disse. E adeus yoga mais uma vez.

Como o mundo gira e gira, e dá muitas voltas… meu caminho me levou para os Estados Unidos. Chegando aqui nada de aikido, fiz kung-fu mas tinha que abaixar pra bandeira do EUA no começo da aula… e já viu, né? Não deu certo. Um belo dia, caminhando na rua vi o sinal de Luz: (2)Donation Yoga All Levels Welcome”. Entrei. Um ambiente aconchegante, o professor muito simpático e receptivo. Govinda Das, é o nome dele, e o mesmo virou meu amigo. Enquanto eu esperava os meus papéis de imigração ficarem prontos eu não podia trabalhar – durante seis meses- a situação financeira apertou e eu perguntei pro meu professor: posso fazer algo pra você em troca das suas aulas? Ele mais que prontamente disse sim! E eu limpei, esfreguei, branqueei a latrina e tirei pó com gosto! Ia para a aula de yoga todos os dias! E aí descobri mais e mais estúdios, mais e mais professores e mais e mais eu me encantava e encanto com a prática. Santa Monica, CA: “A Meca do Yoga nos EUA” eu pensava.

Em quatro anos eu fiz três cursos de profissionalização, um aqui na Califórnia e dois na Índia, completando mais de 700 horas de treinamento e felicidades! De volta da Índia em 2013 eu vi um anúncio pra dar aulas de yoga on-line. Engraçado, eu pensei comigo mesma, vamos ver no que vai dar! Para minha surpresa o estúdio de yoga online Black Swan Yoga me contratou! “Nossa!” –pensei comigo mesma – “ a vida realmente tem muita surpresa!”

Durante o longo e, quase doloroso processo de dar à luz ao meu canal de yoga – comprar equipamento, aprender a gravar, editar, errar e refazer, escutar a minha própria voz no computador- surgiu a ideia! Plim! Será que eu posso fazer o áudio também em português? Pra felicidade do meu coração a resposta foi SIM! E então o veio o medo, mas eu nunca dei aula de yoga em português, nenhum dos meus treinos foi em português… e agora? Como que eu vou fazer? Eu nem sei se sei todos os nomes das poses em português? Que fiasco! Mas vamos assim mesmo! Porque? Pela mesma razão que eu acabo não batendo a minha cabeça na parede mesmo no pico do meu cansaço, porque eu amo de coração o que eu faço, eu visualizo e projeto no Universo que mais pessoas no Brasil tenham acesso ao yoga, e é o meu dever fazer a minha parte para que isso se torne realidade.

Yoga não é “coisa de jovem”, nem “coisa de velho”. Eu espero que aquele(a) adolescente que só precisa de um pouco de tempo consigo mesmo tenha acesso ao yoga, que o meu pai e mãe saibam que tem yoga pra eles também! Iniciantes são bem vindos! E aquele pessoal que morra lá no interiorzão do meu país, onde o sol da manhã  beija a terra fresca, e nenhum professor chegou por lá, que a internet me deixe entrar.

E aqueles que a carência não se manifesta no coração, mas na conta bancária, ainda assim possam ter acesso ao yoga. Yoga é bom pra muita coisa. E esse é um assunto para um outro artigo. Mas você só vai saber de verdade como yoga pode ter um impacto positivo na sua vida se você praticar. E pra praticar é necessário ter acesso à pratica. Então a gente começa por aí. O Yoga esta aqui para você. Yoga pra quem quiser yoga. O Yoga começa agora.

(1)Universidade Federal de São Carlos
(2) “Yoga por doação. Todos os níveis são bem vindos.”

2 comments

Comentários Desabilitado