Pesquisas vêm apontando os inúmeros benefícios que a prática do yoga acarretam na saúde de todos e agora reconhecem o valor especial dela durante para as mulheres no período do climatério (a perimenopausa, que pode durar mais de 10 anos, a menopausa, quando ficamos mais de 1 ano sem menstruar e pós menopausa).

O climatério, assim como a puberdade, é causada por alterações no equilíbrio hormonal e, enquanto essas mudanças ocorrem, algumas mulheres experimentam sintomas bastante desagradáveis como, por exemplo, alterações na periodicidade e quantidade do fluxo menstrual, “calorões”, suores noturnos, alterações na qualidade do sono, problemas urinários, ressecamento vaginal, dores e inchaço nas articulações, aumento de peso, perda ou afinamento do cabelo, perda da postura (a coluna começa a arredondar e começamos a perder altura), osteoporose, fadiga e diminuição da libido.

Não bastasse, o climatério também afeta as mulheres psicologicamente: os sintomas da TPM são bastante majorados, alterações de humor, depressão, melancolia, ansiedade, irritabilidade, confusão, lapsos de memória e esquecimento das palavras são também comuns. E como na nossa cultura a perda da juventude ainda é indesejável, some isso tudo e veja como ser mulher é uma tarefa difícil.

A prática de yoga, entretanto, pode ser uma ferramenta poderosa no auxílio à passagem pelo climatério, fazendo dele um evento positivo, tanto física quanto espiritualmente, especialmente para mulheres que desejem ficar livres dos hábitos negativos à saúde física, mental e emocional, na medida em que aumenta a força e o equilíbrio. Porque o yoga trabalha sobre o equilíbrio do sistema endócrino, ele reduz muito os efeitos derivados das alterações hormonais.

Posturas invertidas (como śirṣāsana e salāmba sarvaṅgāsana, adho muka śvanāsana, adho mukha vṛkṣāsana, pīncha mayurāsana, entre outras), que posicionam o corpo parcial ou totalmente de cabeça para baixo, reduzem a incidência e a intensidade dos calorões e suores noturnos. As posturas invertidas tem efeito mensurável na hemodinâmica e também sobre as glândulas do sistema endócrino, proporcionam desintoxicação no organismo e reforçam o sistema imunológico.

Uma permanência mais longa em salāmba sarvaṅgāsana tem um efeito especial sobre o cérebro e o sistema nervoso, apaziguando-os. De fato, halāsana e salāmba sarvaṅgāsana são as posturas mais importantes para corrigir desequilíbrios e problemas hormonais do sistema reprodutor feminino.

As alterações dos níveis de estrogênio e progesterona, ambos ligados ao humor, podem causar irritabilidade, ansiedade e depressão durante a menopausa. Para acalmar a mente e tranquilizar o sistema nervoso, as flexões para frente feitas de um modo relaxante ou com suporte, alongando a coluna e toda a parte posterior do corpo, estimulam uma atitude de aceitação que alivia o estresse e muitos dos sintomas negativos associados à menopausa. Um simples uttanāsana inverte a parte superior do corpo, colocando a cabeça abaixo do coração, estimulando a glândula pituitária, responsável pela regulação da temperatura corporal e níveis de açúcar no sangue.

Já as torções e flexões para trás melhoram o funcionamento das glândulas adrenais, responsáveis pelos hormônios associados à libido e à sensação de bem-estar.

As posturas restaurativas são de inestimável valor para restaurar os níveis de energia.

  1. K. S. Iyengar criou séries para cada um dos casos: “calorões” (nos calorões há intenso aquecimento do corpo a partir dos joelhos ou abdômen até a cabeça e devemos descansar até que passem, mas podemos adotar uma sequência para evitá-los ou minorá-los), suores noturnos (quando se acorda no meio da noite encharcada, obrigando a retirar as cobertas, às vezes as roupas e secar-se com uma toalha), falta de lubrificação dos quadris, pressão alta e outros.

A Professora Senior Corine Biria[1] ensina uma sequência muito útil para mulheres na pré-menopausa e menopausa reequilibrarem seu sistema nervoso:

  1. supta baddha koṅāsana
  2. supta virāsana
  3. matsyāsana
  4. vīparita daṇḍāsana na cadeira
  5. śīrṣāsana em upaviṣtha koṅāsana
  6. baddha koṅāsana
  7. prasārita pādotānāsana
  8. uttanāsana
  9. jānu śīrṣāsana
  10. paśchimōttānāsana
  11. sarvāṅgāsana na cadeira
  12. ardha halāsana
  13. setu bandha sarvaṅgāsana no banco
  14. vīparita karani

Corine Biria acrescenta que a prática de prāṅāyāma é fundamental para a paciência, equilíbrio e paz interiores:

  1. ujjāyi prāṅāyāma I e II
  2. sūrya bhedhana prāṅāyāma
  3. chandra bhedhana prāṅāyāma

Para tirar dúvidas, ver as precauções e aprender as variações restaurativas das posturas, procure um professor certificado em Iyengar Yoga no site www.iyengar.com.br. Namastê!

[1] http://www.bath-iyengar-yoga.com/files/menopause%20article.pdf

Deixe uma resposta

Seu email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes:
<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>