A relação das pessoas com a dor é muito intimidante, o que precisa ser dito que não existem sempre relação entre dor e tecido danificando. Até pouco tempo, o pensamento era se a dor existe algum dano existe no tecido,  mas não é bem assim e alguns conceitos podem trazer uma nova perspectiva para refletimos e entendermos o que realmente está acontecendo.

Memórias da Dor

Quando sentamos por horas no trabalho e sentimos aquela dor nas costas todos os dias,  as vezes escapamos um dia sem ela,  isso significa que é uma dor crônica ou seja em  muitos casos não existe um dano no tecido corporal mas sim uma memória cerebral relacionada ao evento de ficar sentado e todo dia a dor vai ser acionado pelo evento,  diferente de quando chutamos a mesa com nosso dedo,  essa é uma dor aguda e reflete a lesão ou trauma causado pela batida ou não há acesso a memória,  a dor realmente existe.

Quem cria dor é o cérebro

Abrace a perspectiva da relação dor e dano ou seja, antes se pensava que a dor vinha dos danos ao tecido em direção ao cérebro mas essa perspectiva hoje é outra,  o cérebro cria a dor como um alerta de que algo esta errado e envia para a área danificada.

A fato é que não existe dor em lugar algum do corpo mas sim inúmeras interpretações do cérebro a respeito de eventos que acontecem no corpo.  O cérebro decodifica o estímulo e decide se “cria” dor ou não.

Praticando Yoga,  repetimos muitos movimento,  por exemplo inúmeras flexões dos pulsos,  o cérebro recebe estímulos e conclui uma sobre carga nessas articulações,  Boom…  Ali existe dor e dano. Mas quando o cérebro conclui que uma área sem dano está em risco e envia sinais de dor?  Um cenário que a muito tempo ninguém levaria em consideração mas pode existir.

Essa nova perspectiva da dor leva outros fatores que vão além do dano físico e incluindo fatores psicológicos que iremos falar no próximo artigo,  mas o importante é mudar a mentalidade que se existe dor existe dano,  essa mudança pode facilitar o tratamento de dores persistente causadas pelo nosso estilo de vida,  cada um tem responsabilidade de interpretar as informações vindas do cérebro no aspecto dor,  se você fica na mesma posição o dia inteiro e tem dor,  tente aumentar sua mobilidade,  para reprogramar o cérebro a pensar que aquele evento de ficar parado o dia inteiro era realidade mas a partir de hoje não mas,  assim da espaço para ele limpar o avisos de “dores”.

Essas informações, não substituem a consulta de um profissional mas sim a mudança de perceptiva, se você tiver duvidas, consulte um profissional.

Deixe uma resposta

Seu email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes:
<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>