Na minha experiência ministrando aulas da sagrada Yoga eu desenvolvi uma check list que pode ser útil para todos.

1 – Trilha sonora

Eu como aluna sempre apreciei uma boa música durante as aulas. A música certa tem o poder de trazer mais rápido o estado necessário para uma posição, e a música errada pode estressar os alunos.

O silêncio também pode ser constrangedor porque, em muitos lugares, precisamos disputar com o barulho da rua.

A exceção são as aulas na natureza, que trazem o barulho delicioso das ondas que até ajuda, e o som dos passarinhos e o barulho das árvores. Mas as aulas dentro de um espaço fechado pedem música.

Eu faço uma playlist para cada aula e me certifico de que a música vai tocar na hora certa. 

Faça com que conhecer a música seja parte do seu trabalho e esteja atualizado.

Eu adoro os artistas do SPIRIT VOYAGE mas não me prendo a canções “para yoga”. Eu uso música clássica nas aulas, trilha sonora de filmes, e até versão instrumental de músicas do Elvis Presley e Nightwish, tudo depende do clima que a posição ou a instrução pede. O resultado tem sido positivo, todos os alunos querem saber que música são aquelas.

2 – Posições

Certifique-se de que você divide o grupo de séries de forma que os alunos não precisem levantar e sentar várias vezes. Divida começando com as posições em pé, depois sentado e por último deitado.

Esta é uma forma que funciona, mas também não é a única, depende também da idade e do desenvolvimento da turma. Para alunos muito novos, idosos ou iniciantes, esta é  a sequência perfeita. Existe uma lenda de que toda aula de yoga precisa de 12 posições, isto não é verdade. Depende muito da posição, do tipo de yoga e da familiaridade da turma com a posição. 

3 –  Tempo

Deixe tempo o suficiente para as explicações. Pense que você pode gastar de 1 a 2 minutos para dar a instrução de uma posição ou técnica, isso em uma aula com 12 posições pode levar até 20 minutos, principalmente se as posições são novas para a turma.

Então, na dúvida, deixe sobrar um pouco de tempo. Não planeje uma aula muito “apertada”, deixe tempo para explicação e possíveis perguntas dos alunos. 

4 – Silêncio

Alguns professores pecam por achar que precisam continuar dando instruções o tempo todo, mesmo depois que os alunos estão a vontade na posição. Se o professor narra a aula o tempo todo, os alunos não tem a experiência do silêncio interior, então tome cuidado para balancear.

Esteja confortável com o silêncio quando sentir que ele chegou.

5 – Aparência

 Você é um modelo para seus alunos. Além disso, sua aparência é a marca que você quer deixar sobre você e sobre a yoga.

Se você estiver muito “largado” seus alunos irão relacionar a yoga com um modo de vida desleixado. Se você estiver cheia de pulseiras, elas irão fazer barulho e atrapalhar a aula. Se a aula não for na praia ou no campo, vá de sapatos, não vá andando até o local de trabalho de chinelo. Prefira uma sapatilha ou sandália rasteira fácil de tirar, se for homem use tênis se preferir.

Mas perceba que o público da yoga hoje é cada vez mais urbano, buscando uma alternativa para lidar com o stress da vida cotidiana.

Esteja consciente também de que sua aparência é a sua marca e, se for o primeiro professor daquela turma, será o esteriótipo que eles terão da yoga. Faça suas escolhas de acordo com o que você quer transmitir. Você é livre para escolher sua aparência, mas está vinculado a impressão das pessoas.

Cada escolha sua é notada por seus alunos, tenha certeza disso.

E você, é professor(a) de yoga e tem algum check list? Concorda ou discorda dos itens acima?

Você que é aluno(a), tem notado esta check list nas aulas do seu mestre? O que você acrescentaria?

Namaste,

assinatura small

4 comments

Deixe uma resposta

Seu email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes:
<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>