A mente nos acompanha desde que nascemos. Ela carrega as informações de tudo aquilo que vivemos, inclusive nossa memória emocional e afetiva. Carrega tudo o que vivemos, e todo o contexto social e temporal no qual estamos inseridos. Por esse motivo, ela não pode ser eliminada no processo de autoconhecimento. Existe uma crença de que meditação é se livrar dos pensamentos, e que aquele que medita está livre deles. Mas se a mente é um fluxo de pensamentos, é da sua natureza pensar.

Conhecer o funcionamento da mente é uma ótima ferramenta para nos tornar menos reativos. Quando conhecemos o seu funcionamento e trazemos a atenção para o momento presente, substituímos suas reações automáticas baseadas nos hábitos e condicionamentos e passamos a agir de maneira consciente e deliberada, com base no conhecimento de si mesmo. E assim, podemos fazer as melhores escolhas, usando todo o nosso potencial ou nos tranquilizando quando estamos diante de limitações. Isso se aplica tanto às situações mais simples, como a escolha do nosso alimento ou evitar reagir em uma briga de trânsito, como situações mais complexas, em que há um grande nível de stress envolvido.

Para conhecer o que realmente somos temos que conhecer o que não somos, o corpo, a mente, emoções, tudo o que nos acompanha nessa jornada e que nos fazem ter uma forma única de pensar e se expressar. É essencial conhecer o corpo e a mente, reconhecendo-os como resultado de todas as nossas vivências e adquirindo maturidade emocional para, por fim, nos reconhecermos como a consciência que dá vida à todo o Universo.

Comments