yogaNós nascemos neste mundo como nossos eu puramente  autêntico e no inicio executando apenas as necessidades fisiológicas e não há nenhum questionamento de nossa autenticidade.

Quando bebés e crianças somos assumidamente quem somos. Temos nossas identidades originais  embora ainda estamos em um estado de desenvolvimento e crescimento. No entanto, com a socialização pelo mundo que nos rodeia começamos  a nos separar das nossa identidade e construímos uma identidade influenciada pelo que somos expostos.

Todo somos um produto dos nossos condicionamentos. As expectativas de nossos pais influenciam o nosso comportamento. Os limites estabelecidos pelos professores ditam a nossa compreensão da estrutura social. A forma como os nossos amigos respondem ao nosso temperamento vai destacar partes específicas de nossa personalidade. As pessoas ao nosso redor influenciam a forma como agimos  por sermos conscientes de como somos percebidos e estamos em um estado constante de busca de aprovação e amor, e de fato apenas existindo no meio da nossa cultura faz nos mesmo seremos definidos por ela.

No entanto cada um de nós é um ser único com uma visão completamente sem precedentes no mundo. A pergunta é: como é que vamos redescobrir quem realmente somos nos na vida adulta ? Cada pessoa tem uma parte de sua alma que é totalmente não filtrada pelos limites de sua experiência na terra. Isso é eterno e perfeito. A jornada de nossas vidas é para ter acesso a essa parte do nosso ser e de alguma forma se conectar a nossa essência. É através desta acesso que encontramos a verdadeira liberdade.

Yoga e sua jornada espiritual

A prática do Yoga  como todos sabemos  não é apenas  exercícios físicos através de asanas, condicionamento mental através da meditação, ou respiração com pranayama. É uma viagem ao nosso eu interior.

Quando eu comecei a praticar, eu estava mais preocupada se o meu cão olhando para baixo era melhor do que o seu ao invés de qualquer coisa espiritual. Eu me importava muito mais sobre como eu parecia nos asanas do que sobre as lições metafísicas que poderia me ensinar. Mesmo que intelectualmente eu sabia que havia um significado mais profundo, eu só estava  verdadeiramente conectada a 0 proposito do Yoga  de uma forma que não tinha algum impacto real. Eu estava muito ocupada falando para mim mesmo através dos meus pensamentos  e olhando em volta para ver quem estava fazendo o que para perceber que eu tinha que ouvir e ver realmente.

Quanto mais eu ia praticar as coisas ficaram mais silenciosas. Comecei a ouvir o som do silêncio. Foi a princípio  apenas um lampejo – Por alguns momentos eu experimentava a unidade de todas as coisas. Mas, mesmo por apenas um piscar de um instante lembrou-me que há muito mais nessa esta sabedoria milenar do Yoga. Eu percebi que era pelo meu compromisso com ela que eu teria a chance de olhar nos olhos do meu verdadeiro eu.

Eu não posso dizer-lhe que a experiencia do Yoga se realizou totalmente para mim . Mas eu posso dizer que o Yoga é o meu caminho certo . Nós todos usam máscaras – algumas que nós mesmos fizemos , e outras que foram dadas para nós. Experimentá-las e ver se eles se encaixam e muitas delas fazem. Mas há alguém por trás da máscara, alguém tão puro e sem esforço.

Isso é o que eu enxergar dentro de eu mesma e sei que o Yoga é o espelho que vai revelar isso.

Por Toni Nagy

 

CLIQUE AQUI E CURTA O BOA YOGA NO FACEBOOK.

Um comentário

Deixe uma resposta

Seu email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes:
<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>